Depoimentos:

TOC ou Transtorno Obsessivo Compulsivo

1) Em especial o HIV, porém fiz vários exames e todos negativos.

Depoimento:

Sou portador de TOC desde minha adolescência, porém convivia com os sintomas sem me preocupar muito, achava que era pura mania e que um dia deveria passar.

Mas tudo ficou completamente fora do controle quando me envolvi com uma garota de programa e comecei a pensar sobre as possibilidades de contrair uma doença sexualmente transmissível em especial o vírus do HIV, porém fiz vários exames e todos comprovadamente negativos, mas não foi suficiente para acabar com meus pensamentos obsessivos e durante vários meses venho sofrendo com esses pensamentos e cito alguns:

Acho que as amostra de sangue foram trocadas,
Acho que fui contaminado no laboratório.

Estou com mania de punição, ou seja, qualquer coisa que faço, penso ou falo, acredito ser punido por isto.

É como se minha cabeça ficasse procurando meios para não esquecer esse assunto e sofro muito a cada dia que passa, não consigo voltar a ser a pessoa que era e tenho muitas dificuldades de tomar decisões e parece que isso não vai ter fim.
Porém tenho muita fé e vou procurar um Psiquiatra para me tratar, porque realmente esse transtorno é mais forte do que minha vontade de melhorar.

2) Eu tinha pensamentos obsessivos de conteúdo sexual.

Depoimento:

Tenho TOC desde criança. Não é fácil, traz muito sofrimento, a vida parece que não vai ter mais sentido ou não se vê nunca a tal luz no fim do túnel.

Lembro-me que uma vez, quando menininha ainda, peguei um livro na biblioteca pela primeira vez e eu tinha muito medo de perdê-lo; quando eu o guardei na gaveta olhei o livro várias vezes para ver se ele ainda estava lá, era uma obsessão.

Em fevereiro desse ano o que aconteceu foram os pensamentos obsessivos indesejados, de conteúdo sexual.
Comecei a fazer terapia, tomar remédio.

Encarar o problema é muito bom, a Psicóloga é ótimo, o psiquiatra também, mas eu digo uma coisa: NÃO É FÁCIL.
Preciso de muita força para suportar tudo que aconteceu comigo.
Só tenho 15 anos, eu não tenho o sorriso de uma moça de 15 anos. É o TOC, enfim.

3) Acho que o TOC é uma forma de me punir, por eu me achar uma pessoa tão horrível.

Depoimento 1:

Sofro com TOC já diagnosticado, por que é tão difícil de entender que não sou culpada do que sinto? Tudo que imagino que acontece comigo é real ou imaginário exemplo: se passar por alguém e tocar nela sem querer já imagino que fiz mal a ela e pensamentos repulsivos passam na minha mente o que fazer se sinto tanta culpa?

Comentário:
O sentimento de culpa é quase uma constante no TOC. Ele vai passar com o tratamento.


Depoimento 2:

Meu sobrinho lava constantemente as mãos, já chegando ao ponto de feri-las, tem medo constante de morrer, é extremamente ansioso e se sente culpado, porque cometeu pecado.

Mora com a mãe, a avó materna e uma tia. A avó tem problemas psicológicos e faz tratamento, ela que cuida dele. A mãe passa a maior parte do tempo no trabalho e na igreja, pouco cuida dele.


Depoimento 3:

Acho que o TOC é uma forma de me punir, por eu me achar uma pessoa tão horrível, morro de vergonha.
Tenho 21 anos, acho que tenho TOC, depois que li esse site tive certeza. Tenho todos esses medos, mas hoje o que mais me incomoda e a mania de engolir saliva várias vezes repetidamente, minha garganta dói, fica inchada muitas as vezes não consigo comer.

Essa mania surgiu depois que me engasguei comendo, e comecei a achar que a minha saliva iria me sufocar então engolia sempre várias vezes por minuto, essa mania acaba comigo me faz sentir um lixo, não tenho expectativa na minha vida pois apesar de ter sucesso em alguma coisa o TOC está sempre presente.

4) Se somos nervosos, obcecados, ansiosos, fóbicos e problemáticos não é por mero acaso.

Depoimento:

Sou um jovem, estudante Universitário, com 23 anos. Já há dez anos exatamente que me autodiagnostiquei como sendo obsessivo compulsivo, tenho grande parte dos sintomas...

Não só do TOC, mas de Depressão, Fobia Social e por vezes Tourette...

Antes de mais gostaria de dizer que grande parte dos médicos, em particular, Psiquiatras e Psicólogos, ao menos aqui em Portugal, dão consultas fúteis e obsoletas de 15-30 minutos em que a única coisa que lhes interessa é receber o pagamento da consulta e/ou passarem o maior número de receitas para medicamentos, pois parte do dinheiro gasto através de receitas medicas reverte para os médicos.

Talvez seja por este motivo que grande parte dos comentários são desanimadores e autodestrutivos.

Ao recomendarem no vosso site o filme "Melhor é impossível" com Jack Nicholson e Helen Hunt aproveito também para acrescentar o filme "O Aviador" que retrata a vida do criador da aviação-Howard Hughes, e uma série norte-americana chamada Monk que mostra a vida de um ex-policial obsessivo compulsivo que se tornou um grande analista criminal...

Ambos mostram que um obsessivo compulsivo não é necessariamente um doente, um fraco ou um falhado!
Se um obsessivo compulsivo se conseguir abstrair/ignorar/resistir às "paranóias" e canalizar toda a energia mental que o TOC oferece a capacidade de conseguir processar milhares de pensamentos recorrentes e/ou informações relativamente ao ambiente que nos rodeia esse obsessivo compulsivo consegue ser um gênio!

Só queria dizer que por muito difícil que seja viver assim, façam um esforço e em vez de desejarem todos os dias ser igual às outras pessoas, por muito complicado que seja tentem considerar-se abençoados, pois grande parte da população mundial não consegue arquitetar de uma maneira extremamente pormenorizada e minuciosa centenas de pensamentos e informações da maneira que nos conseguimos. Pensem assim, por favor... Por entre uma mistura de melancolia e raiva por sermos assim... procurem julgar-se não inferiores a ninguém mas sim iguais ou ainda melhores do que as outras pessoas.

Afinal de contas grande parte das pessoas que tornaram o mundo como ele é hoje e que foram grandes inventores ou cientistas eram todos um pouco "malucos”...

Portanto quem sabe se nós, obsessivo compulsivos, um dia também não estaremos nos livros de história?
Coragem a todos, não se deixem ir abaixo, procurem sempre levantar a cabeça, viver um dia de cada vez e VIVAM!

Só temos UMA VIDA e não a podemos desperdiçar!
E se somos nervosos, obcecados, ansiosos, fóbicos e problemáticos não é por mero acaso, dizem que todas as pessoas recebem um "DOM" quando nascem, uns são grandes músicos, escritores, pintores, engenheiros, arquitetos, policiais, etc..., por isso volto a dizer, tentem livrar-se das "paranóias” /sintomas obsessivos e tentem usar a nossa energia mental na vossa vida prática - como estudos, trabalho, desporto, investigação, etc.

Procurem ocupar a vossa mente com coisas que realmente interessam, quanto menos tempo tivermos sem fazer nada, mais úteis e vivos nos sentimos e menos "doentes" nos sentimos.

Tentem como nunca tentaram antes, dediquem-se a algo que realmente vos interessa e acima de tudo SEJAM FELIZES...
Repito: A VIDA É SÓ UMA E É CURTA DEMAIS PARA SER VIVIDA EM DEPRESSÃO!

Já passei meses/anos fechado em casa, isolado, sem falar com ninguém, e agora percebo que perdi os melhores anos da minha vida.

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim” - Chico Xavier”

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não e senão uma gota de água no mar, mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota.” - Madre Teresa de Calcutá.

Obrigado por me darem esta oportunidade, espero conseguir ajudar alguém e também parabéns aos donos do site. Grandes cumprimentos a todos e continuem assim.

© 2020 por mentalhelp