Transtorno de Personalidade Borderline

Tratar Borderline em São Paulo

Transtorno de Personalidade Borderline é um conjunto de comportamentos composto por grande instabilidade emocional e reações catastróficas a qualquer rompimento emocional ou sensação de abandono.

Nem toda Border sofreu abuso sexual e nem toda menina que sofreu abuso sexual desenvolve Borderline!

Sintomas do Transtorno Borderline:

(claro que nem todas as Borderline têm todos os sintomas):

  • Medo de abandono, necessidade agoniante de nunca se sentirem sozinhas, rejeitadas ou sem apoio.
  • Dificuldade de administrar emoções.
  • Impulsividade.
  • Instabilidade de humor. As oscilações de humor do Transtorno Afetivo Bipolar duram semanas ou meses, mas as Borderline têm oscilações de minutos, horas, dias. Essas oscilações incluem depressões, ansiedade, irritabilidade, ciúme patológico, hétero- e auto.

Uma paciente marca a consulta informando que está super deprimida, querendo morrer. No dia seguinte chega à consulta bem humorada, bem vestida, maquiada, vaidosa.

  • Comportamento autodestrutivo. As portadoras de Borderline dizem que se machucam, queimam, furam, cutucam por vontade de sentir dor. Elas falam que "a dor no corpo é melhor que a dor na alma".
  • Tentativas de suicídio, mais impulsivas do que planejadas.
  • Mudanças profissionais e de amizades.
  • Problemas de autoestima. As Borderlines se sentem desvalorizadas, incompreendidas, vazias. Não têm visão muito objetiva de si mesmas.
  • Impulsividade: idealizam pessoas, se apaixonam e desapaixonam de modo fulminante.
  • Rapidamente desenvolvem admiração e desencanto por alguém.
  • Alta sensibilidade à rejeição. Pequenas rejeições provocam grandes tempestades emocionais. Uma viagem de negócios do namorado ou marido pode desencadear reação completamente desproporcional (acusações de rejeição, de abandono, de não se preocupar com as necessidades dela, de egoísmo, etc.).
  • A mistura de idealização por alguém e a extrema sensibilidade às pequenas rejeições que fazem parte de qualquer relacionamento são a receita ideal para relacionamentos conturbados e instáveis, rompimentos e imediatamente novos relacionamentos com as mesmas idealizações.
  • Mais raramente, episódios psicóticos (se sentirem observadas, perseguidas, gozadas, comentadas).

Borderline tem risco aumentado para:

  • Compras Compulsivas.
  • Sexo de risco.
  • Comer Compulsivo, Bulimia, Anorexia.
  • Depressão.
  • Ansiedade.
  • Transtorno do Pânico.
  • Abuso de substâncias.
  • Transtorno Afetivo Bipolar.
  • Outros Transtornos de Personalidade.
  • Violência (não só sexual), por causa da impulsividade e da falta de crítica para escolher parceiros.

A causa do Borderline provável é uma combinação de vários fatores:

  • Vivências traumáticas (reais ou imaginadas) na infância. Exemplos: abuso psicológico, sexual, negligência, terror psicológico, físico, separação dos pais, orfandade.
  • Vulnerabilidade individual.
  • Stress.

Cuidado com conclusões precipitadas do tipo "você foi abusada" ou "você foi aterrorizada". Não se acredita mais em "memórias reprimidas". Se a paciente não se lembra de ter sido abusada, provavelmente ela não foi abusada, mas alguns terapeutas convencem as pacientes disso.

Evolução do Transtorno Borderline:

Geralmente começa no final da adolescência e início da vida adulta.
Com a idade, diminui o número de internações e tentativas de suicídio.
Parece piada de mau gosto, mas é estatística: a cada tentativa de suicídio que a Borderline sobrevive, diminui a chance de uma nova tentativa.


Fatores de bom prognóstico de Transtorno Borderline:

  • Bons relacionamentos familiares, sociais, afetivos, profissionais.
  • Participação em atividades comunitárias, esportivas, igrejas, clubes, associações culturais, artísticas, grupos de estudo, etc.
  • Baixa ou ausente autoagressão.
  • Baixa ou ausente freqüência de tentativas de suicídio.
  • Ser casada.
  • Ter filhos.
  • Não ser promíscua.
  • Inteligência, boa capacidade de introspecção, bom raciocínio abstrato e boa capacidade de associação de idéias.
  • Beleza (é sério, não é machismo).

Tratamento do Borderline:

A integração de medicamentos, psicoterapia e vida social saudável (leia acima *) traz grandes progressos no tratamento do Transtorno Borderline.

  • Medicação:

Estabilizadores de Humor, Antidepressivos e Tranquilizantes. Depende de cada paciente e também de cada momento que ela está vivendo.

Embora a medicação seja muito importante, ela é ator coadjuvante. O ator principal no tratamento é a Psicoterapia.

  • Psicoterapia:

Não é uma terapia fácil. O que acontece "na vida real" acontece dentro do consultório: instabilidade, alternância de amor e ódio, idealização e desapontamento com o terapeuta, sedução, impulsividade, etc.

Meninas com Transtorno Borderline costumam ser sedutoras, o psicoterapeuta precisa ser muito experiente.

 

Perguntas e Respostas sobre tratamento de Transtorno de Personalidade Borderline

Depoimentos de portadores de Transtorno de Personalidade Borderline