Doença de Pick ou Demência de Pick

Os sintomas são parecidos com a Doença Alzheimer, mas costumam começar em pessoas mais jovens (meia idade). É uma doença bem mais rara do que o Alzheimer.

Dra. Paula Villela Nunes

Definição da Demência de Pick:

A causa é desconhecida.

 

Sintomas: a doença é lenta e insidiosa. Os sintomas vão aparecendo aos poucos.

  • Déficit de memória para fatos recentes.
  • A memória retrógrada é a última a desaparecer. Os fatos mais antigos são os que mais demoram a serem "apagados" da memória.
  • Dificuldade para executar tarefas rotineiras.
  • Problemas de expressão de linguagem.
  • Dificuldade com atividades intelectuais, como leitura, cálculos, etc.
  • Desorientação para tempo e lugar.
  • Julgamento prejudicado.
  • Incapacidade para o raciocínio abstrato. Por exemplo: "de grão em grão a galinha enche o papo", para o paciente, significa que a galinha come um grão de milho de cada vez. Ele não consegue interpretar o sentido figurado desse provérbio.
  • Guardar coisas em lugares errados.
  • Não reconhece parentes próximos.
  • Alterações de humor ou de comportamento.
  • Fases de depressão, agitação, psicose, alucinações.
  • Mudanças de personalidade, por exemplo irritabilidade, apatia, labilidade de humor, desinibição sexual.
  • Diminuição de iniciativa e estado indiferente em que fica sentada, deitada, ou andando sem rumo pela casa.
  • Incapacidade para executar atos simples, como se vestir e tomar banho.
  • Incontinência urinária e fecal.
  • A doença pode evoluir entre 2 e 20 anos. Na maioria das vezes a causa da morte não tem relação com a Doença, mas sim com outros fatores ligados à idade avançada.

 

Diagnósticos diferenciais:

Existem algumas doenças que podem provocar sintomas semelhantes à Doença de Pick.

  • Neurocisticercose (calcificações cerebrais provocadas pela Tênia, ou Solitária).
  • Tumores Cerebrais.
  • Hemorragias Cerebrais.
  • Arteriosclerose.
  • Intoxicações ou reações paradoxais a medicamentos.
  • Atrofia cerebral provocada por alcoolismo.
  • Síndrome de Korsakoff.
  • Deficiência grave de Vitamina B.
  • Hipotireoidismo e anemia graves.
  • Depressão em pacientes de muita idade. Uma Depressão pode imitar o Alzheimer (antigamente essa Depressão era chamada de Pseudo-demência).
  • Idem para Psicoses em pessoas de muita idade.
  • Traumatismos Cranianos e suas seqüelas.

 

Exames:

Nas fases iniciais todos os exames inclusive a Tomografia e a Ressonância Magnética podem ser normais. Mais tarde, poderá haver diminuição do volume cerebral, indicando a atrofia. Mesmo o Pet Scan e o SPECT, que medem a atividade metabólica cerebral nem sempre estão alterados.

 

Tratamento da Demência de Pick:

No começo é possível diminuir a velocidade da doença, obter melhora de memória e estabilidade do comportamento (que já teve um parente com Doença de Pick sabe como isto é importante).

Atualmente os medicamentos mais eficazes são os Inibidores da Acetilcolinesterasee a Memantina. Anti-inflamatórios e a Reposição Hormonal com estrógenos não são mais usados.

É importante manter hábitos de vida saudáveis, manter o Colesterol e a Glicemia controlados. Tudo indica que Ômega 3, presente no salmão, linhaça, entre outros alimentos, pode ajudar.

 

A vida do paciente de Doença de Pick e de seus cuidadores fica mais fácil com:

  • Ambiente calmo e com estímulos positivos.
  • Manter as coisas sempre arrumadas da mesma forma, ambiente conhecido, para evitar desorientação maior ainda.
  • Não deixar o paciente sair sozinho (para ele não se perder).
  • Vida saudável: não fumar, não beber, fazer caminhadas, ter uma ocupação mesmo que rotineira e repetitiva.
  • Exercícios para memória. Por exemplo: palavras cruzadas, contas matemáticas, contar para a família o que o noticiário de TV mostrou, resumir o que leu no jornal, como foi o capítulo da novela, jogos de memória para crianças, etc.
  • Manter uma luz fraca acesa à noite. Se o paciente acordar saberá onde está.
  • Cartão com identificação, nome e telefone de familiares, etc.
  • Tirar objetos de valor da casa. Provavelmente pessoas estranhas ajudarão a cuidar do paciente.
  • Retirar tapetes soltos e móveis baixos.
  • Barras de segurança nos banheiros e ao lado da cama.
  • Cadeira plástica para o chuveiro
  • Caprichar na higiene inclusive oral
  • A atividade física regular ou fisioterapia, além de melhorarem a parte física, também podem trazer contribuições para a memória do paciente.

 

Para a família do portador de Doença de Pick:

A Doença de Pick não afeta apenas o paciente mas também suas pessoas próximas, que se desgastam grande em termos emocionais, físicos e financeiros.

Repetir muitas vezes os pedidos mais simples, ajudá-lo a se vestir, se lavar, se alimentar, é muito cansativo.

Mesmo cuidadores profissionais (empregadas bem treinadas, enfermeiras, acompanhantes) correm o risco de ficarem esgotados.

Organize bem os turnos, rodízios, feriados, férias. Não tem sentido todos os cuidadores ficarem cansados ao mesmo tempo.

 

Perguntas e Respostas sobre tratamento de Doença de Pick ou Demência de Pick