Perguntas e Respostas: 

Bullying e suas sequelas

1) Começou a ser ridicularizada pelas roupas e ouvia comentários.

Pergunta 1:
Doutor, quando estou em uma situação que minha mente interpreta como sendo de alta tensão, sinto medo, pavor, desespero, preocupação extrema, sinto meu corpo ficar fraco, não consigo me alimentar, minha respiração fica totalmente desbalanceada, minha cabeça fica quente como se fosse explodir, sinto sonolência e uma sensação de impotência toma meu corpo. Comecei a ficar assim depois que sofri Bullying nos tempos de colégio. Fui humilhado, perseguido, ridicularizado e ameaçado por muito anos.
Ter sofrido Bullying por tantos anos além de ter meu causado alguns problemas físicos, parece ter me causado problemas psicológicos.

Nesses anos em que sofri Bullying quando ia para a aula, eu ficava o tempo todo pensando sobre qual seria a próxima vez que seria ridicularizado, ameaçado e até mesmo agredido. O melhor momento nos tempos de escola era o momento onde tocava o sinal da saída, era o sinal do fim da tortura psicológica que eu sofria diariamente.

Todos os dias rezava para que aquele inferno terminasse.

Achava que teria paz quando terminasse de estudar, achava, pois aqueles longos anos de sofrimento me deixaram sequelas.

Sair de casa para ir até um banco é um terror para mim. Quando vou a um ambiente mais movimentado ou a um ambiente no qual nunca estive presente antes, o desespero e a insegurança tomam conta.

Tenho também a sensação de estar sendo perseguido muitas vezes ou de que algo de ruim ira acontecer a mim ou as pessoas próximas, especialmente quando algo viola a minha "zona de conforto".

Um perfeito exemplo da violação a minha "zona de conforto", problema que estou inclusive passando no atual momento, é quando ocorrem mudanças na vizinhança. Moro em uma rua onde a maioria das casas são alugadas frequentemente.

Quando alguém se muda para casas alugadas próximas da minha, e quando tem aparência, idade e vestimentas parecidas a das pessoas que me perseguiam na escola, entro em desespero e pânico.

Sei que é preciso ficar alerta com novos vizinhos considerando o grau de violência atual e sei também que não é possível controlar quem irá morar na casa ao lado, o que acontece e que me deixa mal é que não sei como me controlar e manter a calma diante dessas situações, que um adulto de mente melhor deveria conseguir lidar.

Outra coisa que me preocupa com relação à vizinhança é o meu pai. Como as pessoas que me perseguiam não nutriam nenhum tipo de respeito à vida humana, eu imagino que esses vizinhos que se assemelham a eles podem acabar se envolvendo em confusões com o meu pai. E considerando o grau de banalidade dos dias atuais, tenho medo que atentem contra a vida do meu pai ou contra as das demais pessoas que para mim são importantes.

Mesmo situações menores me deixam em desespero. Minha mãe recentemente se envolveu em uma confusão em redes sociais, e ao imaginar os problemas que poderiam acarretar sobre ela mais uma vez fiquei desesperado sem conseguir me manter calmo.

Outra coisa que ocorre a mim é que penso o tempo todo nas consequências dos meus atos e também dos atos dos meus familiares, por menores que eles sejam.

Por causa, por exemplo, do medo de cometer erros, eu desenvolvi uma mania de conferir o tempo todo as coisas na minha casa na hora de dormir, exemplo: se as bocas do fogão estão abertas, se há algum eletrodoméstico ligado as tomadas como um ferro de passar roupa, se o portão está trancado, lavo com frequência as mãos mesmo que elas estejam limpas etc.

Outro problema que desenvolvi após sofrer Bullying por tanto tempo é que tenho dificuldade em me relacionar com outras pessoas, tanto que não tenho amigos.

Até hoje não consegui arrumar um emprego. Aparentemente os RH's das empresas não se sentem a vontade em contratar alguém introvertido como eu, embora tenham alegado outras razões para não me contratarem.

Basicamente tenho dificuldade em me relacionar com outras pessoas, manias de repetir conferir as coisas várias vezes, pavor, medo e desespero em situações que considero de alta tensão, mesmo muita vezes não sendo algo que teria tanta importância para uma pessoa de mente mais forte, sensação de estar sendo perseguido ou de que algo de ruim acontecera a mim ou a pessoas próximas.

Doutor, peço desculpas pelo texto longo, tentei resumir ao máximo minha história, minha situação. Vim até aqui por não ter encontrado profissionais que pudessem me ajudar em minha cidade. Gostaria de tentar entender o que eu possuo e se existe uma forma de tratar isso.

Do jeito que as coisas estão indo nunca conseguirei levar uma vida normal, nunca conseguirei agir como um adulto.

Peço urgentemente sua ajuda Doutor.

Resposta:
Não sei em que cidade e estado você mora, mas seja em sua cidade ou em uma cidade próxima, certamente existe algum atendimento psicológico e psiquiátrico, mesmo que seja num CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) do SUS.


Pergunta 2:
Daisy (27 anos) vivenciou abuso moral, Bullying em seu lugar de trabalho, durante 9 meses.
Provavelmente por inveja dos colegas porque sempre foi extrovertida e muito carismática e se sobressaía tanto com os superiores como também com os clientes.
Começou a ser ridicularizada pelas roupas que usava e ouvia comentários e mensagens na internet alegando que tinha relacionamentos íntimos com os chefes e clientes.

Ocasionou a si uma Ansiedade Generalizada (TAG), Stress e Depressão, precisando se afastar do trabalho por longo tempo.

Quando voltou ao trabalho, ainda frágil, desenvolveu uma Síndrome de Pânico.

Pediu demissão e decidiu processar juridicamente os empregadores.

Resposta:
Obrigado pelo depoimento.

2) O que fazer para acabar com o Bullying na minha escola?

Pergunta 1:

Primeiramente, boa noite! Eu estou aqui, enviando esse e-mail que eu nem sei se vai ser respondido para você porque eu realmente já não sei mais o que fazer eu tentei mudar, me adaptar, aceitar... nada dá certo, Alias eu já comecei errado... Vou explicar direitinho oque ta acontecendo e depois. Por favor se possível me responda

Eu tenho 13 anos eu tinha muitos amigos até esse ano, mais ao me fazer amizade com um " amigo " da minha classe minha vida virou do avesso, ele me irrita o tempo todo, e eu não posso pedir para ele se afastar porque ele é amigo de outro amigo meu que anda comigo (meio confuso eu sei).

O que acontece é que esse ano ele ta praticamente me substituindo, na escola onde eu fico geralmente as pessoas fazem grupinhos para poder conversar e eu não posso me enturmar porque ele chega lá primeiro que eu e começa a me zoar, ele fica falando mal de mim o tempo todo tipo; " você é feio ", " seu escroto ", " seu Noia ". Esse tipo de coisa está afastando as pessoas de mim e eu me sinto só. No começo eu ignorava mais depois isso foi me tirando do sério, destruindo minha sanidade, me deixando impaciente, isso ainda não é o pior, apesar dele também ter 13 anos ele tem uma namoradinha chata igual a ele e isso vira mais um motivo pra me zoar, ele fica falando: " seu gay”, "seu virjão"

Sempre que eu consigo entrar num grupinho de amigos ele chega espera o momento que eu sair pra pegar alguma coisa ou fazer alguma coisa e " rouba " meu lugar, e no lugar do meu outro amigo me ajudar com isso que é bem evidente todo mundo consegue perceber, NÃOO aquele palhaço fica dando risada ao invés de colaborar. Esse ano eu acabei me apaixonando sem querer por uma menina, e advinha só. O filha da mãe chegou e começou a me substituir me deixando pra trás e ficando com quem EU gostava, ele nem teria notado a menina se eu não tivesse me apaixonado por ela

Ele me bate, me xinga, me humilha, mas alguma coisa dentro de mim não me deixa perder o controle, e essa "coisa " dentro de mim já está quase acabando e eu não sei o que vou fazer se isso acontecer, é confuso eu sei mais eu quero que me ajude de alguma forma por favor eu não sei mais o que fazer, sinto como se houvesse algo vazio dentro de mim, eu preciso de um suporte para me ajudar a entender como " preencher " esse espaço vazio dentro de mim... Por favor não ignore essa mensagem é mim última esperança de fazer alguma coisa com juízo, porque até sexta, se continuar assim, eu vou me alterar eles vão me ver com outros olhos

Resposta:

Essa situação de Bullying é mesmo horrível. Não existe resposta pronta para dizer o que você deve fazer, mas podemos sugerir duas coisas:

Fale com a Orientadora Educacional da sua escola para ela tomar alguma providência. Talvez fosse bom que teus pais também falassem com ela.

Consulte uma psicóloga porque ela vai te ajudar a mudar teu comportamento de acordo com as situações que aparecem no dia a dia com esse seu colega.


Pergunta 2:

Bom, eu simplesmente não tenho mais vontade de viver. Tenho 15 anos e fui vítima de Bullying em 3 escolas diferentes pelo mesmo motivo.

As garotas me xingam e me agridem verbalmente e fisicamente.

O ano passado estudei apenas por 3 meses.

Esse ano resolvi deixar tudo pra trás e recomeçar na minha antiga escola em sp porém tudo se repetiu então, resolvi deixar de vez os estudos. E agora eu só queria sumir.

Resposta:

Você deveria procurar ajuda profissional (psicoterapia), para você questionar porque este Bullying está repetitivo e aprender a se proteger dele, como também aceitar ajuda dos pais e professores e melhorar sua autoestima.

Se houver necessidade, o Psicólogo recomendará um psiquiatra para medicá-la e sanar sua ansiedade, que deve ser muito alta, ou uma possível depressão e deixar longe esta vontade de morrer.

Acho que este sofrimento pode acabar com os tratamentos corretos e você ter mais qualidade de vida e seguir seus estudos. Psicólogo Juarez Lopes Neto

3) Não aprendeu a se defender e ter confiança, sofreu Bullying.

Pergunta 1:
José (59 anos): sofreu abuso sexual do irmão mais velho durante anos (dos 8 aos 14 anos), pai alcoólatra, saiu de casa quando tinha 9 anos e só o viu novamente aos 16.
Seu irmão mais velho o excluía de tudo em casa e o ameaçava constantemente se contasse sobre o abuso que existia.

Isto o deixou extremamente frágil e indefeso, desenvolveu uma ruborização e fobia social. Como não aprendeu a se defender e ter confiança em si, sofreu Bullying durante toda a faculdade.

Tornou-se um profissional competente mas estagnado no cargo que ocupa e com grande dificuldade de apresentar seus projetos e iniciativas. Passivo, muitas vezes sofre grandes gozações no trabalho.

Resposta:
Obrigado pelo depoimento.


Pergunta 2:
Olá, tenho 25 anos, o meu problema é que sempre que vou discutir com alguém eu fico muito nervoso, e no meio da discussão choro sem controle.
Sempre fui assim, desde criança, já participei de várias consultas com a minha Psicóloga e não adiantou nada até hoje.

Durante a minha infância meu pai era muito bruto comigo, ele batia muito em mim à toa e também eu sofria Bullying na escola.

O que eu faço para acabar com esse medo de brigar com alguém, de chorar à toa. Agradeço a sua resposta.

Resposta:
Sequelas de Bullying podem precisar uma Psicoterapia mais profunda. Não sei se sua Psicoterapeuta é de linha Analítica nem se ela é competente.

Assim como muitas vezes um medicamento não funciona e outro funciona, ou um médico não acerta e outro acerta, uma terapeuta pode não acertar e outra pode acertar.

4) Bullying, deixe entrar por um ouvido e sair por outro.

Pergunta:
Sonia (30 anos): Bullying na escola, na vizinhança de sua casa, no clube porque as meninas da escola eram suas vizinhas e frequentavam o mesmo clube; desenvolveu uma depressão profunda, isolamento, fobia social e mais tarde não encontrou uma profissão adequada.

Contava para sua mãe o que ocorria na escola e ouvia dela: “não dê importância, deixe entrar por um ouvido e sair por outro... você é mais inteligente e bonita”.

Fez a faculdade de engenharia de primeira linha só para mostrar que tinha inteligência e competência; não se tornou profissional da área e começou a faculdade de arquitetura onde apresentou muita dificuldade em projetar e desenhar porque sentia sua inteligência paralisada e muita dificuldade em concentrar-se.

Apesar de ser muito inteligente e bonita, vive com um grande complexo de inferioridade se enclausurando em casa e dificultando relacionamentos afetivos.

Resposta:
Obrigado pelo depoimento. Uma Psicoterapia poderia ajudá-la tanto...

5) Na escola era chamada de e sentia-se patinho feio.

Pergunta:
Sueli (39 anos): filha de pais europeus e muito rígidos, vivenciou sempre muitas críticas, principalmente da mãe severa.

Na escola era chamada e sentia-se patinho feio por alguns anos. Desenvolveu uma grande timidez e um transtorno alimentar, anorexia.

Até hoje grandes dificuldades na escolha de um namorado; uma tendência muito grande à infidelidade; profissionalmente é super competente.

Mora só, longe de toda a família, na Europa onde o trabalho é só o que tem

Resposta:
Obrigado pelo depoimento. Ela provavelmente precisa mais do que Psicoterapia, pois desenvolveu um Transtorno Alimentar (Anorexia).

6) Bullying no trabalho ocasionou uma confusão mental.

Pergunta:
Bom dia, venho buscar alguma orientação, não para mim, mas para um amigo, é um rapaz com 26 anos, nunca foi de falar muito, ou daqueles que não puxa conversa, ou toma iniciativa nas coisas, ele tem perda de quase 80 % de audição em um dos ouvidos, ele sofreu alguma espécie de Bullying no trabalho.

Isso ocasionou uma confusão mental na hora de falar, e ele ficou muitos dias sem dormir, agora está sendo levado a médicos e medicado, mas ainda não há um diagnóstico.

Resposta:
Infelizmente, apenas com esses dados não temos condições de diagnosticar.

© 2020 por mentalhelp