Perguntas e Respostas: 

Transtorno Bipolar

1) Tratamento de Bipolar com Tegretol (Carbamazepina) e Trileptal (Ox-carbamazepina)

Pergunta 1:

Depois de 2 anos de Tegretol 400 mg, a intensidade das crise de Bipolaridade diminuíram, mas continuam sendo anuais. Não seria o caso de aumentar a dosagem?

Resposta:

A maneira mais fácil de saber se você está tomando a dose correta de Tegretol é fazer a dosagem no sangue de Carbamazepina, que é a substância química do Tegretol.
Se a Carbamazepina estiver na faixa terapêutica e você continua a ter as crises, provavelmente deve trocar de Estabilizador.

Mas leia também sobre Efeito Kindling, que já existe no site.

Em breve haverá uma página sobre Epigenética, que são fatores de vida que podem interferir na genética da manifestação de uma doença.


Pergunta 2:

Estou tomando Trileptal e Wellbutrin (Bupropiona) e às vezes sinto que estou vendo bichos como aranhas, formigas, baratas e quando pisco várias vezes percebo que não estão nos lugares, é devido aos dois remédios ou de um só deles - qual?

Terei que fazer o tratamento medicamento e psiquiátrico pelo resto da vida?
Gostaria de saber se o Transtorno Bipolar tem tratamento pela Homeopatia? Quais os resultados alcançados?

Resposta:

Nenhum tratamento homeopático é eficaz em Transtorno Bipolar.
Essas visões ou alucinações não deveriam acontecer. Se for efeito colateral de um dos dois remédios, o mais provável é o Wellbutrin.

Mas alucinações visuais precisam de investigação neurológica.
Quanto ao tempo de tratamento, não posso afirmar nada sem te conhecer.


Pergunta 3:

Quais os cuidados hematológicos a serem tomados no tratamento com Tegretol ou Trileptal?

Resposta:

Se um paciente trata Transtorno Bipolar com Tegretol ou Trileptal, deve fazer exames periódicos para dosar Carbamazepina (Tegretol) ou Ox-Carbamazepina (Trileptal) no sangue, que indicam se se esses medicamentos estão em dose terapêutica.
Além disso, Hemograma, Sódio (Na) e Enzimas Hepáticas (TGO, TGP, Gama GT, Fosfatase Alcalina) e Bilirrubinas.


Pergunta 4:

Paciente com Transtorno afetivo Bipolar há 10 anos, seu organismo não se adaptou ao Lítio (causava diarréias) sendo substituído pelo Haldol, Tegretol e Lorax.

Ele atualmente leva uma vida quase normal, mas com todos esses medicamentos. Pode ele vir a reduzir esses medicamentos?

Resposta:

O ideal é sim manter um único medicamento preventivo, mas nem sempre se consegue.
Se o Tegretol estiver na dose correta, o que é indicado pela dosagem de Carbamazepina no sangue, ele muita chance de manter o paciente estável sem necessidade de Haldol nem Lorax.


Pergunta 5:

Tive Depressão e euforia aproximadamente aos 20 anos, depois tudo passou somente com antidepressivos. Aos 28 anos tive Alopecia, Depressão, crises de asma e euforia.

Após um ano e meio de tratamento, com algumas recaídas, foi diagnosticado o Transtorno afetivo Bipolar.
Só apresentei melhora com o uso de Tegretol 400 mg 3x ao dia, Risperdal e Cipramil.
Hoje sou aposentada por incapacidade. Como posso saber se terei outros surtos? Tenho medo.
Minha família (pais, esposo, filhos pequenos e irmã) sofreu muito comigo e foi meu maior ponto de apoio.
Sem eles eu não teria passado por aqueles dois anos de desespero. Hoje não uso nenhuma medicação.
Gostaria de mais informações e palavras de apoio. Temo que tudo possa voltar um dia.

Resposta:

Talvez fosse mais prudente manter uma medicação preventiva (que poderia ser entre outros o Tegretol) por alguns anos, pois a chance de recaída existe, mas é impossível de prever se e quando.


Pergunta 6:

Se tratando com Tegretol (400 mg/dia) e a dose de Risperdal foi diminuída para 2 mg/dia, já faz 2 meses e meio desde o início do tratamento, até quando é aconselhável tratar?

Resposta:

Essa pergunta não pode ser respondida por que você não escreveu a idade do paciente, se foi a primeira crise, se existem fatores complicadores, sinto muito.

Mas existe uma regra: quanto mais longo for o tratamento preventivo e quanto mais devagar se tirar o medicamento (Tegretol), menor é o risco de recaída no futuro.

2) Meus filhos têm risco de serem Bipolares também?

Pergunta 1:

Quero engravidar mas sou Bipolar e tenho 44 anos. Será que posso? Para além do desmame, que vai ser um período crítico, como será a minha gravidez? E ainda mais importante, serei capaz de cuidar do meu filho? O Transtorno Bipolar é hereditário? Passa para os filhos?

Resposta:

Sim, claro que você pode engravidar. Existem muitos remédios que você pode tomar preventivamente na gravidez e na amamentação. E claro que você conseguirá cuidar de seu filho. Com tratamento preventivo adequado, você fora de uma crise é uma pessoa normal como qualquer outra.

Com relação à transmissão genética, ela existe, mas a chance dos filhos não terem a doença é muito maior do que terem.


Pergunta 2:

Minha mãe sofre de Transtorno afetivo Bipolar. Após ler a respeito do Transtorno descobrimos que minha avó também apresentou características de Bipolaridade.
Gostaria de saber a probabilidade de eu sofrer o mesmo problema e quais os testes existentes para detectá-lo.

Resposta:

A probabilidade é menor que 10 %, não se preocupe. Não existe nenhum teste em nenhum lugar do mundo para detectar que você sofra do Transtorno Bipolar antes dele aparecer em sua vida.


Pergunta 3:

Sou esposa de um portador de Transtorno Bipolar, sendo que o diagnóstico, ocorreu há mais de dez anos. Atualmente está fazendo uso do Zyprexa e Carbolitium. Têm plena consciência da doença e não descuida da medicação. Mas ultimamente, a convivência está insuportável.
Temos duas filhas, uma de 25 e outra de 20 anos, e elas não estão mais suportando a convivência com o pai. Ele é muito agressivo, principalmente com a mais velha, que aos 19 anos ficou grávida e nós a ajudamos na criação de nosso neto.

Minha maior preocupação atual é com meu neto, que presencia as brigas e sinto que ele está ficando muito afetado com toda esta situação.
Será que ele pode desenvolver esta doença, já que meu marido herdou do pai e do avô paterno?

Minha filha mais velha foi diagnosticada com Distimia e já fez uso de medicamentos, mas atualmente não está tomando nenhuma medicação.
Ele faz terapia, mas não estou vendo nenhuma melhora significativa.

Resposta:

Ele não deveria ter se tornado uma pessoa agressiva, conversem com o médico dele a respeito da medicação e eventualmente de uma outra forma de Psicoterapia (diferente da que ele já fez).

Essa agressividade pode ser um traço de personalidade dele. Mesmo assim alguns Estabilizadores de Humor podem melhorar esse “pavio curto”.
Sua preocupação com relação a seus filhos é super compreensível, mas a chance deles não terem a doença é bem maior do que terem.

3) Como estabilizar Transtorno Bipolar?

Pergunta 1:

Prezado, tenho 34 anos de idade e faço tratamento psiquiátrico há 15 anos, quando fui diagnosticado como Bipolar. Hoje tomo pela da manhã 1 comprimido de 300 mg de Lítio, 1 comprimido de 200 mg de Stavigile e 1 mg de Rivotril; e pela noite tomo 500 mg de Depakote ER, 1 mg de Rivotril, 1 mg de Frontal XR, 1 comprimido de 300 mg de Lítio e 2,5 mg de Stelazine. O meu médico alega que o Stavigile "faz o papel" do antidepressivo quando indago a ele sobre este medicamento e também perguntado ao médico porque não posso usar antidepressivo, ele argumenta dizendo que pode acontecer uma "virada maníaca".

O Stavigile me ajuda muito quando tenho sono excessivo, fadiga e falta de energia... Gostaria de lhe perguntar sobre o possível uso de Bupropiona de 150 mg no lugar do Stavigile de 200 mg. A dosagem do Lítio não passa de 0,3 mEq/l e o meu médico disse mesmo assim tem o seu efeito. Pode-se tomar Lítio concomitantemente com Bupropiona? Eu tomo muita cerveja (apenas) durante as semanas. Qual seria risco para minha vida?

Resposta:

Alguns pacientes sentem melhora da Depressão com Estimulantes (no caso, o Stavigile) sim.

O risco de virada maníaca (desencadear uma fase maníaca ou hipomaníaca) existe com alguns antidepressivos mais do que com outros. A Bupropiona é considerada de baixo risco para virada maníaca, mas se ela é ou não indicada para seu caso específico, só teu Psiquiatra pode afirmar.

Com relação à bebida, leia a página Posso beber tomando medicamento psiquiátrico?


Pergunta 2:

Sou Bipolar desde os 20 anos, mas só fui diagnosticada aos 47 anos após uma crise de mania. Há três anos uso Seroquel XRO 200 (2 comprimidos por dia), Depakote ER 500 (1 comprimido por dia), Carbolitium 450 (2 comprimidos por dia).

Estou estabilizada, embora não me sinta perfeitamente saudável, visto que são muitos efeitos colaterais dos remédios.

Os níveis séricos de Lítio e Ácido Valpróico estão controlados a cada 6 meses. Poderia deixar de tomar Seroquel que é muito caro?

Resposta:

Só o teu médico pode responder essa pergunta, desculpe. Mas lembro que o Seroquel tem vários similares de excelente qualidade e custo bem menor, por exemplo Kitapen, Neotiapim, Quetipim, Quetros, Queopine, Quet XR.


Pergunta 3:

O que significa doença estabilizada?

Resposta:

Significa que está controlada com medicamentos, mas está controlada. Quer dizer que mesmo que de vez em quando apareçam sintomas, eles são mais fracos e mais espaçados do que eram antes da doença ser tratada com um Estabilizador de Humor.

4) Tratamento de Bipolar com Lítio, Carbolitium.

Pergunta:

Boa noite, sofro de Depressão e tem fases em que fico demasiado eufórica e outras muito triste com muitas fobias e ataques de pânico. Estava a tomar Fluoxetina, Seroquel, Halcion e Alprazolam além de Concor e Euthyrox, pois fiz tireoidectómica total. O médico hoje acrescentou Paroxetina e Lítio ao que já estou a tomar.

Estou com muito medo desta mistura e já ouvi dizer que é perigoso misturar Fluoxetina com Paroxetina. Poderia me aconselhar?

Resposta:

O Lítio é um grande Estabilizador de Humor e com o tempo o paciente costuma não precisar mais dos outros medicamentos.

Concordo que Fluoxetina, Seroquel, Halcion, Alprazolam mais Paroxetina e Lítio é uma variedade muito grande de medicamentos.

Não que seja perigoso, mas é que você acaba sentindo efeitos colaterais de muitos remédios.

Imagino que seu médico pretenda trocar a Fluoxetina pela Paroxetina e não manter os dois juntos. Ambos têm o mesmo mecanismo de ação e não se costuma misturar os dois. Quando um Antidepressivo IRS (Inibidor de Recaptação de Serotonina, como a Fluoxetina) não funciona preferimos trocar por outro antidepressivo que tenha outro mecanismo de ação.

5) Traços de personalidade podem complicar tratamento e evolução de Bipolar

Pergunta 1:

Olá, está sendo difícil para min (até mesmo escrever isso) só por estar aqui, tentando algo que não estou entendendo por simplesmente estar pedindo ajuda e isso está sendo muito difícil mesmo, quem diria eu pedindo ajuda, bom, parece que cheguei ao meu limite mesmo. Direto ao assunto então. Eu estou aqui simplesmente para pedir ajuda, mesmo que não souberem me ajudar, eu vou tentar, ok?

Eu vou ir direto aos meus problemas: eu tenho Transtorno Bipolar muito forte, faço coisas que me esqueço.
Por exemplo: eu estava estudando para uma prova e estava muito ansioso, preocupado e deprimido, então no dia seguinte me esqueço disso porque acordei feliz.

Isso realmente não deve ser um bom exemplo, mas é algo assim que acontece, espero que entenda.
Enfim, sem contar que sou fóbico e sofro de depressão às vezes, não tenho amigos há quase dois anos, nem tenho alguma rede social.

Só me dedico a jogos eletrônicos fora de horário.

Um parente meu notou e perguntou se eu era bipolar, eu imediatamente mudei meu humor e falei normalmente como se não fosse nada, com isso convenci ele.
Então, eu queria alguma dica, ou até mesmo uma lista de coisas que eu deva fazer para impedir isso, eu tive um namoro que me acabou.

Até que superei isso, mas não consigo mais conviver com meu fracasso, eu ajo como se estivesse me destruindo, e faço coisas escondidas, como falar sozinho, é uma espécie de delírio e um arrependimento de não ter falado o que eu deveria ter falado em tal momento.

Acabo planejando essa imaginação em minha mente e simplesmente noto que estou falando sozinho, minha ansiedade é muito elevada e percebo isso, pois faço qualquer coisa para não despertar a ansiedade, porque entro em pânico.
Estou aqui para pedir uma ajuda, ou pelo menos tentar isso.

Tenho 16 anos.

Resposta:

Pelo que entendi você acha que tem bipolaridade, depressões e fobias, pois ainda não foi a um Psiquiatra para diagnosticar.
Sugiro que procure um psiquiatra para fazer o diagnóstico diferencial de Bipolaridade, Déficit de Atenção/Hiperatividade ou mesmo “apenas” uma ansiedade muito forte.

Se houver um problema clínico, ele será tratado a partir de um diagnóstico correto.
Independente de um diagnóstico clínico, me parece que uma Psicoterapia também seria bom para você.
O Psiquiatra que você consultar certamente conhece uma Psicóloga de adolescentes em sua cidade.


Pergunta 2:

Minha mulher tem Transtorno Bipolar, hoje tratada com Psiquiatra e com acompanhamento Psicoterapia levamos uma vida normal. O problema ficou em mim, uma crise que tivemos no ano passado me deixou muito mexido, fiquei abalado, e até hoje me preocupo com seu comportamento, tendo a patologizar as suas atitudes, tive que me controlar muito, pois ela percebia e se entristecia, me ajude, que faço?

Somos casados, temos imperfeições que nos levam a discussões...
O controle de ingestão de sal ajuda?

Resposta:

Essa é uma daquelas situações em que uma Psicoterapia, inclusive com algumas sessões de casal pode ajudar muito.

Você escreveu que tende a patologizar algumas atitudes de sua mulher.
É aí que a Psicoterapia entra: separar traços de personalidade e conflitos que qualquer casal tem de sintomas da doença.


Pergunta 3:

Fui ao Psiquiatra e descobri que sou Bipolar. Estou assustadíssima lendo esse site onde vejo pessoas tomando remédios há 5 ou 6 anos, não quero ser dependente de remédios. Eu achei que o tratamento fosse rápido, tipo 6 meses, sendo assim não é melhor eu fazer uma terapia com Psicólogos?

Resposta:

Vamos lá: em primeiro lugar, cuidado porque hoje em dia existe exagero de diagnóstico de Bipolar. Em segundo lugar: se você for Bipolar mesmo, irá precisar de remédio por muito tempo e qualquer forma de Psicoterapia, ainda que ajude em várias áreas de sua vida, não substituirá a medicação.


Pergunta 4:

Infelizmente tenho a maldita doença Bipolar. Iniciei um tratamento há seis meses, após uma crise. O médico que fui disse que terei que tomar o remédio (Depakote) pela vida toda. O fato de ter que tomar remédio é desconfortável para mim.

Vou iniciar tratamento com uma Psicoterapia. É possível me tratar somente com a terapia? A doença fica estável?
Terei que fazer manutenção com o medicamento por toda a vida?
Quando engravidar o bebê poderá ter problemas por causa do Lítio? Esta substância é prejudicial ao organismo?

Resposta:

Caso você sofra mesmo de Transtorno Bipolar (hoje em dia existe excesso desse diagnóstico), o tratamento é necessário por vários anos.

A Psicoterapia ajuda a:
Administrar melhor eventuais fatores estressores ou gatilhos ou desencadeantes das fases maníacas e depressivas.
Separar traços de personalidade e comportamento de sintomas da doença.
Ajudar a melhorar a convivência com familiares. Nos casos de fase depressiva e principalmente de fase maníaca podem surgir problemas familiares que precisam de aconselhamento psicológico depois que a fase passa.

O Depakote não deve ser tomado na gravidez. Quando você planejar engravidar, seu Psiquiatra fará uma troca de medicação para o período de gravidez.

6) Gostaria de saber se há chance de eu ser Bipolar e o que fazer.

Pergunta 1:

Em 2008 fui diagnosticada com fortes crises de Síndrome do Pânico e TAG, comecei tomar Sertralina, depois Citalopram e ambos não fizeram efeitos.

Passei a tomar 20 mg de Exodus/Escitalopram e fiquei bem durante todos esses anos. À noite tomo 1 mg de Alprazolam
Porem esse ano comecei a ficar triste, depressiva sem motivo, depois passava por fases de mania.
Enfim minha nova psiquiatra me diagnosticou com Transtorno Bipolar
Tomei durante 1 mês 150 mg de Bupropiona com 20 mg de Escitalopram e 1 mg a noite de Alprazolam.
Na última consulta eu disse q o BUP me fez bem, e ela então mandou eu tomar 300 mg em dose única de Wellbutrin XL e abaixar a dose de Escitalopram para 10 mg e tentar começar a diminuir o Alprazolam noturno para 0,5 mg.

O que o Dr acha disso? Acha que será eficiente?
Minha libido estava em Zero com o Escitalopram por isso inserimos o BUP...

Obrigada Dr. Não aguento mais viver nessas oscilações de humor

Resposta:

É comum um quadro clínico começar com Depressão ou Pânico e depois de alguns anos se verificar que era prenúncio de um Transtorno Bipolar.

Não posso opinar sobre teu tratamento individualizado, mas certamente o Buo/Wellbutrin são muito melhores para a Libido do que o Escitalopram, Sertralina e Citalopram.
Por outro lado, existem ótimos Estabilizadores de Humor que acabam com essas oscilações e não prejudicam a libido.


Pergunta 2:

Já tomei muitos medicamentos para insônia, Depressão, Bipolaridade e Esquizofrenia.
Gostaria de saber se posso tomar à noite Quetiapina com Diazepam?
Eu tomava Exodus e tinha bons resultados, só parei por motivos financeiros. Se eu voltar à tomar ele vai fazer o mesmo efeito?

Resposta:

Provavelmente não tem problema em tomar Quetiapina com Diazepam, mas o problema é outro: você não tem três doenças (Esquizofrenia, Depressão e Bipolar).
Inclusive, se você melhorou com Exodus, é difícil imaginar que um Transtorno Bipolar e uma Esquizofrenia melhorem com Exodus (Escitalopram, Lexapro, Reconter).

Peça para seu Psiquiatra definir melhor qual é o seu diagnóstico.


Pergunta 3:

O problema é que eu sinto muita irritabilidade o tempo inteiro, distúrbios no sono e na circulação sanguínea, Depressão alternada com Euforia o que é muito desconfortável para mim e a minha família.

Tenho 46 anos e minha menstruação aparece cada dois ou três meses. Fiz exames de contagem hormonal, deu tudo normal e o médico falou que não precisa fazer Reposição Hormonal por enquanto. Ele receitou algumas vitaminas e só.

É recomendável fazer algum tipo de Terapia ou devo procurar outros médicos? A reposição hormonal não melhoraria o quadro?

Resposta:

Se seus hormônios estão normais, provavelmente não há motivo para Reposição Hormonal.

Mas se você tem essas oscilações de humor que prejudicam você e sua família, precisaria consultar um Psiquiatra para ver se você não sofre de Transtorno Bipolar, pois existem inúmeros medicamentos Estabilizadores de Humor que podem melhorar a qualidade da sua via.

7) Tratamento de Bipolar com Quetiapina, Seroquel, Neotiapim, Quet XR

Pergunta:

Tenho Transtorno Bipolar e faz um ano que estou fazendo uso da Quetiapina, no início com 100 mg e agora 200 mg. Tenho um sono incontrolado e não tenho mais concentração.

Nesses oito meses que estou usando 200 mg engordei 23 kg, meu abdomen distendeu absurdamente, não estou grávida, mas a barriga está igual? É normalmente isso acontecer, existe possibilidade de fazer uso de alguma outra medicação q corte esses efeitos?

Resposta:

Não é normal ter esses efeitos colaterais da Quetiapina, ainda mais considerando que a dose de 200 mg não é alta.

Por outro lado, se você sentir tanto sono e ganhou tanto peso, o mais provável é que ela será trocada por outro medicamento que trate Transtorno Bipolar.

© 2020 por mentalhelp