A Fobia Social e a timidez prejudicaram toda a minha vida

Fobia Social e timidez prejudicam a vida

Depoimento:

Estou desesperado tenho 27 anos e sempre tive dificuldade em me relacionar com as pessoas eu pensava que era apenas timidez mais agora percebo que é algo além disso não estou conseguindo sair de casa com medo de falar com as pessoas não consigo conversar com ninguém até meus familiares mais próximos.

Estou empregado em uma empresa trabalho de vendedor externo mas estou prestes a perder meu emprego visito um ou dois clientes e venho embora para casa, estou com problemas de memória esqueço as coisas fáceis já nem sei o que fazer mais peço que me ajude.

 

Depoimento:

Tenho 33 anos e desde que me entendo por gente venho tendo problemas para me relacionar com pessoas, pois sempre fui muito tímido.

Só que crescendo, descobri que era mais do que uma timidez.

É um pavor que me atrapalhou nesses meus 33 anos em todos os sentidos. No pessoal, uma vez que nunca tive um relacionamento mais íntimo.

Mas isso eu acabei deixando de lado há algum tempo, pois, o que mais me atrapalha é no lado profissional.

O Pânico Social me atrapalhou e vem me atrapalhando no sentido de que me forçou a desistir de várias chances na vida.

Sempre procurei fugir de tudo que viesse a me ameaçar com aquele sentimento avassalador.

Abandonei uma faculdade, cursos, empregos, sempre que a situação chegava ao limite que não podia mais agüentar.

Com muita dificuldade consegui terminar uma Faculdade achando que se tivesse uma profissão, iria ter segurança necessária para me auto afirmar, para me impor. Mas não adianta.

O medo de pessoas, de uma exposição a grupos de pessoas é maior que tudo.

Me impede até o raciocínio.

Tremores, aperto no peito parecendo que vou explodir; chego ao ponto de não saber o que estou falando, esquecer coisas, enfim, é uma situação incontrolável. Já fiz psicoterapia por várias vezes, por vários anos.

Sempre associadas a medicações das mais diversas. Já tentaram de tudo!

Não adianta. Nada parece fazer diminuir esse pânico.

Hoje em dia, sofro a cada minuto dos meus dias para tentar manter meu emprego e para isso estou me automedicando com Lexotan, mas simplesmente porque se ficar sem vou sentir reações físicas, mas não porque esteja me ajudando de alguma forma a amenizar meu problema.

Gostaria que alguém que pudesse de alguma forma ajudar, me escrevesse, pois, apesar de tudo, apesar da idade, ainda não perdi as esperanças de conseguir alguma coisa, uma "fórmula mágica" para me tirar dessa e fazer com que eu possa ao menos viver um pouco.

Hoje em dia é tudo que peço.

Uma oportunidade de viver sem esse medo no peito. Só isso.

As pessoas que convivem acham que é comodismo, frescura, enfim, falta de capacidade intelectual, etc.

“Só quem vive o problema para entender.”

Gostaria que esse meu comentário fosse publicado para que pessoas com o mesmo problema possam eventualmente entrar em contato e estar se ajudando.

 

 

Depoimento:

Sou Olga, portuguesa, tenho 29 anos e uma Fobia Social enorme que me consome a vida não sei mais o que fazer.

Sou acompanhada por um Psicólogo e um Psiquiatra, ambos me dizem que tenho de enfrentar os meus medos, mas como?

Eu não consigo. São dolorosos demais e começo a pensar que não tenho cura de uma Fobia Social ao trabalho.

Eu gosto muito de estar em casa, fazer minhas coisas, estar no meu cantinho. Acontece que quando me obrigam a procurar emprego (pais e namorado) sinto logo tudo a cair por água abaixo.

A ansiedade aparece, o coração bate mais rápido, sinto-me completamente sozinha, desamparada e sem motivação nenhuma, já para não falar nas lágrimas que me correm pela cara abaixo como se fosse uma menina pequenina.

Ainda dizem que não chega a medicação que tomo, Cipralex e Sedoxil, que é preciso muita força de vontade. Sim e onde é que ela está?

Em mim? Pois não a vejo e não encontro solução nenhuma.

Por isso estou desempregada, já tive vários trabalhos, e desisti de todos. Desisti de cursos e muitas outras coisas na vida que para outras pessoas pode ser normal, para mim não são.

Quando acordava de manhã para ir trabalhar sentia vômitos, má disposição ataques de ansiedade, coração rápido, falta de vontade, até ter mesmo ataques de Pânico e ansiedade no trabalho. Minha mãe diz que não tenho problema nem doença nenhuma. Meu pai não fala comigo.

Meu namorado diz que tenho que vencer os meus medos e que me deixa se não lhe der provas que sou capaz. Pois não sei o que fazer, sinto-me cada vez pior, estou isolada em casa, não tenho irmãos, só os meus pais. Vou acabar sozinha...

 

Depoimento:

Olá, tenho 26 anos e sofro de Fobia Social, creio eu. O que acontece é que em determinadas situações como ir a repartições públicas, pela primeira vez, tentar flertar com alguma mulher, tentar resolver alguma situação que dependa de falar com alguém, sinto uma dor estomacal tão forte, que tenho de ir depressa ao banheiro, ou sair da situação, além de uma aceleração dos batimentos cardíacos, tão forte, que acho que vou ter um infarto.

Como também fico com dificuldades em me expressar, não é gagueira, simplesmente não consigo me expressar bem. Essa timidez tem cura?

 

Depoimento:

Oi sou músico e tenho gagueira, há vários anos sofro de ansiedade quando estou no meio de outras pessoas.

Quando estou sozinho, ou em ambientes que considero seguros, gaguejo bem menos e para tocar (toco instrumento de sopro) também fica mais fácil.

Mas na orquestra sinfônica onde toco, é muito difícil para a min, fazer um solo ou tocar uma parte mais difícil, morro de medo, minha respiração parece que para, estou ficando muito triste e frustrado com isso, pois sou um músico sério, que se dedica muito, mas chega na hora "H" não consigo tocar, já deixei de ter melhor emprego por causa disso, vocês podem me ajudar?