Paroxetina pode diminuir a libido?


Paroxetina e a libido

PERGUNTAS E RESPOSTAS:


Pergunta 1:


Meu marido toma Paroxetina há 15 anos. Dependendo da época varia entre 10 e 20mg por dia. A dose é baixa.  Ele trata de ansiedade generalizada. Recentemente dosou a testosterona e deu um pouco baixa (312).

Ele está muito preocupado em haver alguma relação com a Paroxetina.


Há relação entre Paroxetina e diminuição de Testosterona?

Ele já suspendeu a Paroxetina algumas vezes mas os sintomas voltam.

Pode haver interferência da Paroxetina na testosterona ao longo prazo, já que diminui um pouco a libido?


Resposta:


Boa tarde. A Paroxetina não baixa a Testosterona e o efeito colateral de diminuir a libido costuma melhorar com o tempo.

Por outro lado, 15 anos de tratamento é muito tempo. Existem opções de tratamento de Ansiedade Generalizada diferentes de Paroxetina.

Pergunta 2:


Olá, tomei o Paxil CR 25 mg por mais ou menos quatro meses e fui parando aos poucos. Enfim, desde que comecei a tomar não tenho vontade de me relacionar com meu namorado e mesmo agora, duas semanas depois de suspender o remédio, essa vontade continua oculta, queria saber se é normal e se a vontade volta algum dia rsrsrs. Obrigada pela atenção.


Resposta:


Não se preocupe, já se passaram duas semanas, o Paxil CR (Paroxetina, Cebrilin, Aropax, Pondera) vai ser completamente eliminado do teu organismo e a sexualidade vai voltar ao normal.

Por outro lado, 2 semanas é bastante tempo, se não normalizar em mais uma semana, talvez exista algum problema psicológico entre você e seu namorado.


Na sua idade é extremamente raro haver deficiência de Testosterona.


Pergunta 3:


Faço uso do Pondera 20 mg, que acabou sendo muito eficaz no combate da ejaculação precoce. Porém, diminuiu consideravelmente a libido.

Há algum remédio que melhore esta falta de desejo sexual que possa ser administrado concomitantemente com o Pondera?


Resposta:


A Paroxetina (Pondera, Aropax, Paxil CR, Moratus, Praxetina, etc.) realmente retardam a ejaculação e costuma ser usada no tratamento de ejaculação precoce.

Mas a Paroxetina também pode diminuir a libido (vontade) e não só a sensibilidade sexual.

Nesses casos o que se faz é diminuir a dose ou trocar por outro antidepressivo que também retarde a ejaculação com menos prejuízo da libido.

Existem antidepressivos que retardam a ejaculação sem diminuir tanto a vontade (a libido), assim como existem medicamentos que aumentam a libido.

Consulte teu médico para ver qual é a melhor opção para você, não podemos recomendar nenhuma medicação específica pela Internet.


Pergunta 4:


Iniciei tratamento com Paroxetina há mais ou menos quatro meses  e sinto como se tivesse havido um corte na minha resposta sexual, com redução de libido.

Faço Terapia há muitos anos: 8 anos de Lacan, 2 Freudiano, e no momento um misto (Constelação Familiar, etc.).

Sinto que essa última me ajudou muito mais que os dez anos anteriores

Consigo não apenas ver o que me aflige, mas de algum modo lidar e transformar. A associação com a medicação me tirou de alguns sintomas excelentes - é visível hoje a minha reação diante das situações que antes chamava de exposta a holofotes.

Lido com muita gente no meu dia a dia - ocupo cargo que me confere essa responsabilidade - tenho boa formação acadêmica, gosto de estudar e já tive embaraços (ou não os tive mais para mim é como se tivessem ocorrido - dificilmente entrava em uma mesa bem, e dificilmente saia com sensação de sucesso).


Diria que me sinto muito bem. Exceto pelo fato de haver essa interferência a que me referi, que de algum modo leva para a intimidade, a mesma sensação de fracasso antes público.

Isso tem me incomodado muito. Tenho amigos Psiquiatras, inclusive fora do Brasil, e quando me dirijo a um de vocês, não estou subestimando a capacidade da que me trata.

Faço Terapia com uma Psicóloga, e me trato farmacologicamente com uma Psiquiatra.

Usei durante um tempo - cerca de dois meses, Fluoxetina - também me senti melhor. Não deu tempo para ver sobre essa questão da Fobia Social, e por queixar do mesmo problema - foi feita a mudança para a Paroxetina.

Com a Fluoxetina eu tinha certo resultado no controle da alimentação. Diria que reduziu em muito a compulsão - não sou gorda, mas tinha um relativo, sobrepeso para o que sempre fui antes de me sentir com esses problemas.

A minha pergunta, seria: o retorno à Fluoxetina mudaria muito em relação aos ganhos com a Paroxetina?

O que poderia ser associado como ataque aos efeitos colaterais na sexualidade?


Resposta:


Existem várias opções além de Paroxetina e Fluoxetina. Mas a escolha do remédio depende de muitos fatores que não posso avaliar pela internet.

Leia o item 8 da página de Efeitos Colaterais e a página sobre Como Escolher o Medicamento.


Pergunta 5:


Tomo Mirtazapina 30 mg, Amplictil 100 mg 3 comprimidos, Fluoxetina 20 mg 2 comprimidos, Olcadil 2 mg 2 comprimidos, Risperidona 2 mg 2 comprimidos, e Diazepam 10 mg 2 comprimidos, e estou tendo dificuldade em ter ereção, o que seria mais indicado no meu caso?

Tomar Sildenafil? Ou alguma outra coisa que me ajude? Por favor, respondam.


Resposta:


Com tantos medicamentos, não seria melhor teu médico dar uma racionalizada neles do que você tomar mais um, no caso o Viagra?

Pergunta 6:


Tenho 51 anos e faço tratamento para Ansiedade há oito anos. Faz três meses que tomo Alenthus e me sinto muito bem.

Só que afetou minha libido e o médico me receitou Bup.

Faz uma semana que estou tomando os dois remédios e estou me sentindo, agora, mais ansiosa e com falta de ar.

Pergunto: é comum essa associação de dois Antidepressivos?

Em tão pouco tempo, o Bup pode estar provocando esta Ansiedade?

Existem outros medicamentos que possam ser associados ao Alenthus e que melhorem a libido?


Resposta:


Peça para teu Psiquiatra Bupropiona de liberação lenta (Wellbutrin SL), para ver se provoca menos Ansiedade.

Leia o item 8 da página de Efeitos Colaterais.


Pergunta 7:


Há 3 anos, depois de muito sofrimento e ter passado por vários médicos, inclusive Psicoterapia por 5 anos, um Psiquiatra diagnosticou que eu tinha Distimia com episódios de Depressão muito graves.

Tomei Eufor durante 3 meses mas me sentia ansiosa demais, mesmo tomando Frontal 2 vezes ao dia. 

Depois tomei Aropax durante 2 anos. A Depressão foi embora, mas durante este tempo o meu desejo sexual desapareceu.

Sou casada, amo meu marido, ele me dá muito apoio mas fica muito complicado ficar 2 anos (fora o tempo que eu estava deprimida) sem sexo.

Parei com a medicação e fiz Acupuntura durante 6 meses. As variações do humor ainda continuaram, mas em um nível aceitável.

Agora a Depressão voltou, estou indo às sessões de Acupuntura mas elas não estão surtindo efeito. Gostaria de saber se há outros tratamentos alternativos ou medicação mais moderna, que não mexam tanto com a libido. Desde já, agradeço a atenção.


Resposta:


Sim, é possível tratar tanto a Distimia quanto as depressões associadas com medicamentos que não prejudiquem a libido.


Pergunta 8:


Antes do Pondera estava tudo ótimo com a minha vida sexual, bastante desejo e sensibilidade, orgasmos intensos... O que está acontecendo? Devo parar o Pondera?

Não posso continuar assim, estou muito frustrada!

Li que o Wellbutrin não causa alterações na libido e inclusive ajuda na diminuição do peso, é verdade?


Resposta:


Sim, é verdade. O efeito colateral mais comum do Pondera (Paroxetina, Aropax, Paxil CR, Cebrilin, Roxetin) é perda de libido.

O Wellbutrin pode aumentar a libido e tirar um pouco a fome.

O problema é que eles têm modos de ação opostos, ou seja, a Paroxetina é mais útil em quadros (inclusive depressivos) com mais ansiedade enquanto que o Wellbutrin é mais estimulante. 

© 2020 por mentalhelp