Depressão ou Pânico na gravidez

Tratar Depressão e Pânico durante a gravidez é possível. Não tratar Depressão e Pânico na gravidez pode trazer problemas para a mãe e para o bebê.

Tratar Panico e Depressão grávida

Pode e deve tratar Depressão e Pânico durante a Gravidez. Este texto vale para as duas doenças.

Lembra que você aprendeu na escola que os neurônios não se regeneram, não se multiplicam e que depois que a pessoa nasce os neurônios só diminuem de número ?

Esqueça. Hoje se sabe que durante nossa vida os neurônios nascem e que eles podem sofrer em determinadas situações, mas recuperam a vitalidade. Isso se chama Neurogênese e Plasticidade Neuronal.

E o que isso tem a ver com Depressão ou Síndrome do Pânico na Gravidez ?

Quem mantém a vitalidade dos neurônios é uma substância chamada BDNF (Brain Derived Neurotrophic Factor).

Temos uma estrutura cerebral chamada Hipocampo, e provavelmente é no Hipocampo que os neurônios nascem e migram para outras regiões do cérebro.

Em situações como Depressão, Transtorno do Pânico, Stress, Esquizofrenia, etc., podemos ter um aumento de um hormônio chamado Cortisol.

Acredita-se que o aumento do Cortisol diminui a quantidade de BDNF do cérebro e também o volume do Hipocampo, portanto diminui a regeneração e a vitalidade dos neurônios.

Pacientes de Depressão não tratada têm diminuição do volume do Hipocampo. Ainda existe alguma dúvida se a diminuição do volume do Hipocampo é causa ou conseqüência da Depressão, mas tudo leva a crer que são as depressões repetidas e não tratadas que diminuem o volume do Hipocampo.

  • Sofrer muitas fases depressivas sem tratamento (Depressão é uma doença que vem e vai. Ela pode passar sem tratamento, mas pode demorar muito).
  • Tratar e assim que melhorar suspender os remédios.
  • Tomar Antidepressivos sub dosados e se satisfazer com melhora parcial.
  • Usar Antidepressivos em situações onde deveria usar Estabilizadores de Humor.
  • Cronificar uma fase depressiva tratando Depressão com longas análises (quando a Psicoterapia que ajuda numa fase depressiva é a Psicoterapia Cognitivo Comportamental ou TCC e não a Psicanálise).

 

Essas pessoas correm risco maior de sofrerem depressões de difícil tratamento e mesmo refratárias, porque podem ter alterações estruturais dos neurônios

E o que isso tem a ver com Depressão na Gravidez ?

Muito, pelo seguinte: quando a mulher está deprimida, ela pode aumentar a produção de Cortisol.

Assim como o Cortisol aumentado pode diminuir a vitalidade dos neurônios da mulher, ele também pode afetar o cérebro do feto.

Então, uma Depressão ou Síndrome do Pânico na gravidez prejudica a mãe e o bebê:

  • A grávida, por todos os sintomas que você vai ler na página de Depressão.
  • Depois do parto, a mãe depressiva provavelmente continuará deprimida (Depressão pós Parto ou Depressão Puerperal), o que reduz sua energia e, portanto, a capacidade de dar a máxima atenção ao bebê.

Existem pesquisas que mostram que bebês nascidos de mães que sofreram Depressão ou Pânico na gravidez e não trataram também sofrem, pois eles têm maior risco de:

  • Nascimento prematuro.
  • Baixo peso no nascimento.
  • Serem bebês mais agitados e irritados.
  • Terem menor circunferência da cabeça.
  • Sofrerem de Depressão na adolescência e na idade adulta, talvez porque o Cortisol aumentado na mãe também tenha sensibilizado o Hipocampo do feto.

Tratamento de Depressão e Síndrome do Pânico durante a gravidez:

  • As pessoas têm medo de tomar remédios na gravidez. Remédios psiquiátricos então, mais ainda.

  • Muitos remédios psiquiátricos são seguros na gravidez e na lactação. Alguns não devem ser tomados no primeiro trimestre, outros não devem ser tomados na amamentação, outros são seguros tanto para a gravidez inteira quanto para a amamentação.

  • Existem classificações de segurança de medicamentos psiquiátricos na gestação, baseadas na experiência de milhões de mulheres grávidas tratadas nos últimos 40 - 50 anos.

  • Os Psiquiatras sempre recebem pacientes que adiam uma gravidez por estarem tratando Depressão ou grávidas que estão passando por uma gravidez incrivelmente sofrida por acharem que "não dá para tratar".

Dá para tratar sim e o tratamento é bom para a mãe, o bebê e para toda a família!

Quando a mulher está sofrendo uma Depressão Clínica ou um Transtorno do Pânico, não tem sentido sofrer meses por causa de um problema de fácil tratamento.

Casos leves podem ser tratados com alguma forma de Psicoterapia (por exemplo, Psicoterapia Cognitivo Comportamental ou TCC), mas se precisar tomar remédios, saiba que é perfeitamente possível.

A Depressão durante a gravidez melhora rapidamente, em cerca de 2 a 3 semanas.

O Pânico, mais rápido ainda.

E é claro que sendo tratada, também se evita a Depressão pós Parto ou Depressão Puerperal.

Este site nunca responde se uma leitora pode ou não tomar determinado medicamento psiquiátrico na gravidez.

Embora quase todos sejam extremamente seguros, esse assunto deve ser discutido entre a mulher e o psiquiatra que está cuidando dela.

Existem classificações de segurança de todos os remédios na gravidez e essas classificações estão disponíveis para todos os médicos.

Perguntas e Respostas sobre tratamento de Depressão ou Pânico na gravidez

Depoimentos de portadores de Depressão ou Pânico na gravidez