Perguntas e Respostas: 

Memória, Alzheimer, Lewys, Demência Vascular, Pick, perda de memória em jovens

1) Falta de concentração e de memória em jovens

Pergunta 1:

Boa noite, Doutor! Estou tendo muita dificuldade em me concentrar no serviço. Estou errando muito, e dando prejuízo para a empresa. Fiquei um mês de férias e pensei que poderia ser o cansaço, porém continuo sem atenção e cometendo erros. Já não sei o que fazer. Me solicitam um serviço e logo penso "vou ter que entregar pronto de qualquer jeito", daí me desespero e nem sei por onde começar. Acabo ficando nervosa e muitas vezes faço errado. O pode ser?

Resposta:

Pode ser muita coisa, não dá para diagnosticar assim. Leia a página abaixo, sobre falta de memória em jovens. Comece por um Clínico Geral.


Pergunta 2:

Olá, boa tarde. Ultimamente, venho notado uma "demência" grande. Exemplo: é como se eu andasse com preguiça de executar minhas tarefas e precisasse da ajuda de alguém para isso. Sempre fui descansada, mas ultimamente isso tem me incomodado, por se tratar de tarefas que eu sei executar, mas parece que desaprendi.

Tenho 27 anos e faço uso do Sibutramina, acompanhada por um Endocrinologista. Não tive efeito colaterais, mas essa "demência" seria um efeito da substância?

Resposta:

Bom dia! Até pode Sr. um efeito colateral da Sibutramina, pode ser stress, cansaço, etc. Mas pode ser um problema neurológico.

O mais prudente é você consultar um Neurologista para ter certeza.



Pergunta 3:

Tomo Donaren Retard e Noctal à noite e gostaria de saber se posso tomar um medicamento chamado Nootropil ou Vicog. Faço faculdade tenho dificuldade em me concentrar.

Resposta:

Poder, provavelmente pode, mas quase certo que não vai ajudar você a se concentrar mais na faculdade.

Seria mais saudável você identificar a causa da falta de concentração e tratar adequadamente. Leia a página sobre falta de memória e concentração em jovens.

2) Diagnóstico de Alzheimer é clínico e não através de Ressonância Magnética.

Pergunta:

Conforme laudo de Tomografia Computadorizada do Crânio, sexo feminino, 81 anos: degeneração de Substância Branca profunda peri-ventricular compatível...

... com Micro Leuco Angiopatia, Alargamento dos Espaços Liquóricos intra e extra-axiais compatível com involução do parênquima cerebral notadamente na região Frontal, sinais de manipulação cirúrgica da calota craniana possivelmente por drenagem de hematoma prévio.

Se pode confirmar o diagnóstico estas informações, caso afirmativo a indicação de uso do Exelon, pois ela já apresenta alguns sintomas com esquecimento confusão, e mudança de comportamento tudo isto em alguns lapsos em seguida recupera e fica normal.

Resposta:

O diagnóstico de Alzheimer é clínico e não através de Ressonância Magnética de Crânio ou Tomografia Computadorizada.

Se existe a suspeita, ainda que mínima, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes.
O processo degenerativo pode ser atrasado e muito.

Seja Arteriosclerose ou Alzheimer ou Pick, quanto mais cedo começar o tratamento, melhor.
Exelon é uma das opções medicamentosas, mas existem outras.

3) Aos 82 anos, vária doenças podem causar confusão mental.

Pergunta 1:

Boa noite Dr., minha mãe tem 86 anos, teve infarto e AVC há 10 anos e de lá pra cá ela está muito depressiva já tomou muitos remédios antidepressivos indicado pelos psiquiatras ela até teve melhoras mas ultimamente nada mais faz efeito, ela passa o dia angustiada e inquieta, não consegue ficar deitada nem sentada está sempre inquieta, à noite levanta várias vezes, deita e já levanta.

Há duas semanas ela está tomando Ludiomil, Socian e Lorax 1 mg mas não dorme. Hoje ela fez exame de sangue e a Prolactina está 121, muito alta.

De janeiro para cá ela já tomou Pristiq 100 mg, Socian 50 mg, Brintellix 10 mg, Valdoxan 25 mg, Zider 10 mg, Zopix 2,5 mg, Akineton 2mg.

Todos esses remédios não faziam efeito e foram substituídos pelas doses citadas acimas. Dê-me uma luz Dr

Resposta:

Gostaríamos de poder ajudar com uma sugestão de tratamento, mas pela Internet é impossível, ainda mais numa sra. de 86 anos, que pode ter outros problemas clínicos concomitantes.

O ideal seria ela procurar um Psiquiatra especializado em idosos, mas não conheço ninguém em sua cidade.


Pergunta 2:

Minha mãe esta com 91 anos, esta tomando Quet (Quetiapina) 50 mg. Não dorme muito e continua agitada. Pela manhã toma Donila (Donezepila, Eranz) 5 mg.

Posso aumentar mais meio comprimido? Que reação pode ter?

Resposta:

Infelizmente não posso opinar com esses dados, ainda mais numa sra de 92 anos que deve ser bastante frágil.
Sugiro uma avaliação com a Dra. Paula Nunes.


Pergunta 3:

Meu pai, que sempre foi tranquilo e reservado está com 82 anos de idade, e segundo um cardiologista e um urologista aos quais faz visitas periódicas ele está bem. Há 18 meses minha mãe faleceu e veio a depressão.

Com o tempo veio a melhora, mas ele se tornou mais emotivo, e certos aborrecimentos provocados pela filha estressada, que mora com ele os deixam perturbado, a ponto de perder o sono, o que provoca pesadelos e até visão acordado no escuro do quarto.

Sei que a insônia, em qualquer ser humano é desastrosa para o cérebro, por isso acho até normal as queixas de meu pai.

Porém, palpiteiros estão falando em psicose e até lhe deram Haldol.
Quando vi aquele homem, que sempre foi tranquilo dopado por Haldol, virei a mesa.
Quando ele se aborrece, fica nervoso e não dorme. Isso é psicose?

Seria bom uma visita a um neurologista?

Haldol não é droga receitada somente por psiquiatras e para coisas mais sérias?

Resposta:

Neurologistas, Psiquiatras, Geriatras, Cardiologistas, etc. podem dar Haldol em doses bem baixas para pessoas na idade dele. Mas “palpiteiros” não!

Se ele está dopado, o Haldol ou a dose de Haldol são inadequados para ele.
Se ele está sofrendo de uma Psicose, não dá para afirmar por esse seu relato.

De qualquer modo, preste atenção, porque depressão ou Psicose na idade dele, quando nunca teve nenhum episódio anterior na vida, podem significar um início de um processo degenerativo cerebral do tipo Alzheimer.

Lembre-se também que aos 82 anos, vária doenças podem causar confusão mental:
Anemia
Hipotireoidismo
Infecção urinária
Hiponatremia (perda de Sódio)
Etc.

4) Alzheimer, alucinações e agitação

Pergunta 1:

Olá Dra. Paula, minha mãe tem a doença de Alzheimer, e o médico passou para a insônia e a agitação, a Quetiapina. Mas ela fica muito sonolenta, como se tivesse sedada, e também com dores no corpo. Isso pode ser do remédio? Por favor aguardo resposta. Obrigada.

Resposta:

Pode ser sim, vale conversar com o médico para rever a medicação ou diminuir a dose da Quetiapina.

Um abraço, Dra. Paula Nunes


Pergunta 2:

Preciso de uma indicação de um Neurologista ou Psiquiatra com experiência em tratamento de Alzheimer, pois preciso de uma segunda opinião. Minha mãe foi diagnosticada com Alzheimer e a geriatra dela receitou Quetiapina que é para Esquizofrenia e deixa-a agitada e com dor nas pernas. Ajude-me doutor, por favor! Desde já agradeço!

Resposta:

O tratamento da doença de Alzheimer normalmente é feito com remédios como a Rivastigmina (Exelon), Donepezila (Eranz) ou a Galantamina (Reminyl). Algumas pessoas não podem tomar por apresentarem alguns problemas clínicos (por exemplo, algumas alterações ou arritmias no coração).

Em alguns casos, pessoas com Alzheimer podem ficar mais inquietas, agressivas ou com dificuldades para dormir. Neste caso, medicações da classe (família) dos antipsicóticos, como a Quetiapina podem ajudar. Isso porque além de ser parte do tratamento para Esquizofrenia (como está escrito na bula) a Quetiapina pode ter outros usos.

Aparentemente o que sua mãe está sentindo pode ser um efeito colateral da Quetiapina, que poderia ser algo que chamamos de Distonia ou pode ser algo que chamamos de Acatisia. Neste caso vale a pena voltar a conversar com o médico que receitou ou como você havia pensado, ouvir uma segunda opinião. Espero ter ajudado! Dra. Paula Villela Nunes.


Pergunta 3:

Meu pai tem 64 anos e há 4 foi descoberto que tem Alzheimer, vem sendo tratado neste com um remédio chamado Exelon que já está com a dosagem mais alta que existe.

Só que de uns meses para cá ele vem tendo fortes alucinações durante a noite chegando a não nos conhecer e ficando violento; depois no outro dia acorda melhor e não se lembra de nada.

O médico dele simplesmente fala que isto e comum ao Alzheimer, não seria o caso de ministrar um remédio específico para este tipo de Psicose?

Resposta:

O Exelon em muitos casos melhora a cognição e memória. Em outros casos ele atrasa do desenvolvimento do Alzheimer.

Mas o Exelon nem sempre impede o aparecimento das alucinações.
As alucinações de pacientes com Alzheimer podem e devem ser tratadas com antipsicóticos potentes e em doses baixas.

Não apenas para o paciente e a família sofrerem menos, mas também para a diminuir o desgaste que todos os cuidadores de Alzheimer sofrem.

5) Demência Vascular e Alzheimer têm como resultado final a perda do funcionamento do cérebro

Pergunta 1:

Minha tia usa o medicamento Alois 10 mg duas vezes ao dia há 1 ano, só que estar piorando e o neurologista continua a receitar o mesmo. Ele estar certo?

Resposta:

Alois é a Memantina, ou Ebix. É um medicamento usado para tratar Doença de Alzheimer.
Geralmente a Memantina é usada em combinação com outros medicamentos que se usa para tratar Alzheimer.

Não posso avaliar porque o médico adotou determinada conduta. Às vezes o quadro de Alzheimer é tão avançado que dar mais remédios significa uma sobrecarga financeira maior para a família sem resultados benéficos para o paciente.


Pergunta 2:

Foi diagnosticado há 5 meses que minha mãe de 71 anos está com um processo degenerativo do cérebro, ao qual denominou Demência Vascular Cerebral.
Ela já perdeu parte de reflexos, se tornou muito lenta, bloqueou completamente a mente e não consegue realizar nada em casa.
Fuma e passa o dia sentada numa cadeira, não consegue se esfregar e se limpar direito quando vai ao banheiro.

O médico não falou mas eu acho muito semelhante ao Mal de Alzheimer.

O que você acha?

Resposta:

Tanto a Demência Vascular quanto a Demência de Alzheimer têm como resultado final a perda do funcionamento do cérebro.
A diferença é que na Demência Vascular a causa é a falta de irrigação do sangue (normalmente por entupimento dos vasos) que leva à morte dos neurônios.

Na demência de Alzheimer os neurônios morrem por um processo diferente, como se eles envelhecessem precocemente.
Infelizmente o diagnóstico diferencial não pode ser feito apenas com esses dados que você informou.

Dra. Paula Nunes.

© 2020 por mentalhelp