Depoimentos:

Stress, TAG (Ansiedade Generalizada), Síndrome de Burnout

1) Tenho pânico de falar em público e perco oportunidades.

Depoimento:

Tenho histórico de pai alcoólatra, mãe depressiva. Tenho pânico de falar em público e perco oportunidades de ganhar mais por isso.

Meu sintomas:
Sentimento de culpa
Rôo unha desde que nasci
Fico tirando "bolinhas" da pele
Tenho picos de compulsão alimentar e engordo, depois emagreço.
Tenho pensamentos ruins, de morte.
Tenho medo de sair de carro com outra pessoa dirigindo
Fico imaginando acidentes acontecendo
Fico imaginando pessoas da família morrendo
Às vezes me acho a última pessoa do mundo, incapaz, burra.
Fico mortificada quando dou um "fora"
Preocupo-me com o que vão pensar de mim se faço algo errado ou me engano não consigo parar de me culpar e de me envergonhar
Tenho TPM horrível, fico deprimida, querendo morrer, me achando uma idiota.
Tenho pavor de atender telefone ou de receber visita inesperada
Fico angustiada em saber que vou a uma festa ou que receberei visitas em casa
Só saio de casa tranqüila se estou segura quanto a minha aparência
Tenho vontade de roubar pequenos objetos, tenho mania de mentir (mentirinhas pequenas que não precisam ser ditas por que não mudam nada e depois me arrependo horrivelmente).
Às vezes minto para fugir de algo que não fiz ou que me esqueci, sendo que poderia muito bem assumir o erro e depois me arrependo e juro que nunca mais vou mentir e volto a fazê-lo.
Quando falo em público fico "burra" apesar de ter boa cultura, dá uns brancos, fico sem vocabulário.
Quando sei que vou falar em público já sofro um mês antes
Quero fugir da situação e no dia seguinte fico me sentindo a idiota, desamparada, que todos me acharam uma imbecil.

Sinto uma tristeza imensa, choro muito tem momentos de euforia.
Acho-me bonita, inteligente.
Os elogios são recebidos com exagero e as críticas também.
Apanhei muito na infância.
Tenho medo de "autoridades" e às vezes me sinto em pânico ao ter que conversar com uma pessoa, não sei onde por a mão, o que dizer, para onde olhar.
Gostava muito de ler, devorava, agora não consigo mais me concentrar.
Não consegui terminar nenhuma faculdade, entrei em várias, prestei vestibulares difíceis, sempre tive boas notas e elogios, mas não tenho mais vontade nem coragem de ir para faculdade.
A única coisa que consigo fazer e me sentir feliz é meu trabalho: dou aulas para crianças bem pequenas de 5 anos e elas são maravilhosas, me adoram, faço um bom trabalho, tenho resultados ótimos com crianças difíceis, tenho muito carinho e compreensão, ao mesmo tempo sei por limites.

Nunca bati em minha filha, mas ela sofre com minha instabilidade emocional.
Minha família também é um oásis no meio da minha loucura.

Meu marido me ama e é muito compreensivo, mas ele não sabe de tudo o que sinto e faço, tenho vergonha, parece que ninguém vai entender.
Guardo comigo as coisas "piores" como as “mentirinhas”, por exemplo.

Me sinto tão horrível perante o mundo, porque sei discernir entre o certo e o errado, preocupo-me com questões éticas e de cidadania, tenho pena e sou solidária com as pessoas, mas me mantenho num mundo só meu.

Me distancio de amigos.

Às vezes conquisto amigos que querem me visitar, me ver, falar comigo e vou colocando barreiras, até que a pessoa comece a desistir de mim, porque não consigo me envolver tanto, não quero gente me ligando, odeio telefone.

Só gosto de e-mail. Pelo amor de Deus! O que eu faço? O que eu tenho? É horrível ser eu!
Às vezes quero morrer ou sumir para um país distante, começar minha vida de novo onde ninguém conhece a minha idiotice, começar do zero.

Mas acho que minha saída é morrer e nascer de novo. Eu sou uma massa disforme sem valor e incapaz.


Comentário: um quadro de Ansiedade desses, com sintomas compatíveis com Fobia Social, Distimia, TPM, Cleptomania, Bulimia, Picking provavelmente precisa ser tratado com Psicoterapia Profunda (Analítica) mais medicação.

2) Cada doença que leio, eu sinto que vou ter e vou morrer.

Depoimento 1:

Olá! Sempre fui muito ansiosa, rôo unha desde pequena, só consegui parar há dois meses, porém ainda mexo muito no cabelo ou algo do tipo!
Há uns 4 anos, passei a ter medos que vinham do nada, nervoso, me dava diarréia, e medo de voltar ao local!
Cheguei a sair da faculdade!
Já tive vários ataques de sentir o coração acelerar e parar no hospital, e não da nada de errado!
Fui a vários cardiologistas, não tenho nada exceto extra-sístole, já fui a otorrino, sinto muita pressão no ouvido (nada melhora), neurologista tenho dor de cabeça quase todo dia!

Às vezes sinto falta de ar, enjôo, pressão no peito!
Já fui a um Gastroenterologista, tenho gastrite leve, já tive Helicobacter pylorii, porém está tratado agora.
Tem dias que sinto muita dor de estômago, má digestão, me sinto cheia!
Tem épocas que emagreço muito fácil!

Me sinto com medo de doenças, curso biologia, e cada doença que leio, eu sinto que vou ter e vou morrer, fico esperando a doença chegar e penso em um jeito de ter contraído a doença, e isso não sai da minha cabeça mesmo eu muitas vezes sabendo que é um medo ridículo, quando fico sozinha, aí que piora!

Agora já tenho medo de andar de ônibus, na rua sozinha, de ficar em casa sozinha, às vezes até de dormir sozinha, de viajar, muitas vezes ainda tenho diarreia que vem do nada!

Durmo muito mal às vezes (até uso plaquinha miorelaxante, porque mastigo a bochecha enquanto durmo), e muitas vezes acordo como se tivesse levado um choque, meu corpo fica tremendo por um tempão!

Todos meus exames de sangue são normais, incluindo vitaminas.
Verifico várias vezes as mesmas coisas tipo gás e janelas antes de dormir e sair!

Há 3 semanas fui sequestrada, agora sinto medo de andar de carro à noite, sozinha nem pensar, acompanhada ate vou, mas qualquer coisa me assusta!

Li sobre TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada) e Transtorno do Pânico (incluindo Agorafobia), e me identifico com praticamente todos os sintomas dos dois!
Não suporto mais viver com medo de tudo, principalmente medo de morrer!

Gostaria de saber se preciso procurar um médico Psiquiatra, você poderia me esclarecer essa dúvida? MUITO OBRIGADA!

Comentário:

Claro que deve. Sua qualidade de vida só pode melhorar!


Depoimento 2:

Descobri este site e tive o ímpeto de escrever e compartilhar minha experiência com relação às crises de Ansiedade e Depressão.
No meu caso, hoje estou com 44 anos e voltando ao passado, noto que tinha Depressão desde criança.
Há 4 anos estou tomando Paroxetina e voltei a viver.

Ocorre que, quando acontece algum fato desencadeador, as crises de Ansiedade voltam e sempre na parte da manhã, quando chega a tarde, estou normal. A mudança é inacreditável, pois de manhã sinto falta de ar, tremores, diarreia e vômitos, zumbidos e uma grande dor na alma que parece que vou morrer.

A minha sorte é que começo a trabalhar somente às 13:00 h, pois à tarde, sou outra pessoa.
Vou voltar ao médico e ver se ele pode fazer mais alguma coisa por mim. Um abraço a todos!

3) Sempre procuro aparentar felicidade, cumprimentar, ser educada e cordial.

Depoimento 1:

Estou me tratando com um excelente médico. Minha vida toda sempre foi uma panela de pressão que finalmente explodiu há dois anos.
Algo estava errado. Não consigo sair de casa sem estar arrumadíssima (já fui notada por isso, elogios, mas me constrangem porque sei que me sentirei medida em valor pela aparência), sempre procuro estar aparentando felicidade, cumprimentar, ser educada e cordial, mesmo morrendo por dentro, fico horrorizada se alguém me pergunta se estou me sentindo mal ou com má aparência, cansada ou brava.
Acabo sempre sendo meio palhaça para ser aceita.

Nunca, nunca, nunca falo dos meus problemas com ninguém.
Todos acham que tenho uma vida perfeita.
Os piores tempos são Natal, Ano Novo e Aniversário.

Já digo de antemão que não quero nada, pois morro de medo de não ganhar, ou se esquecerem de mim, e isso quer dizer que não sou amada, que não valho a pena.

No aniversário eu sumo, e não digo a ninguém, tenho horror de ganhar parabéns.
Estou sempre bem arrumada, mas é um martírio quando alguém nota e comenta, fico bestificada e propensa a não aceitar o elogio com naturalidade ou desviar a conversa.

Agora mesmo acho que estou com Depressão mais intensa, li no site, cansaço (durmo de dia), não quero fazer compras, não quero sair para minha empresa, não quero sair de casa, não quero ir à piscina, enfim, queria dormir e não acordar (como diz no site), mas não morrer, quero um tempo no nada.

É duro enfrentar cada dia, fazer o de sempre, disfarçando.
Tomei a iniciativa de me tratar, mas ninguém sabe.
Na minha família eu sou a fortaleza para onde os problemas convergem. Não posso desmoronar.

Não quero dar trabalho para ninguém, quero ser dona de mim até o fim. Ando chorando por nada (por filme), pensamentos tristes, culpa (de não me interagir melhor com meus filhos) e uma total falta de interesse pelo mundo.

Fico triste de não ter nenhuma mensagem para mim, mas não entro mais nos chats.
Estou também arrasada porque dei um basta numa amizade que me deixava muito ansiosa, porque eu via que só eu dava e não recebia de volta.

Então dei um tempo, mas sinto falta horrível desse amigo, mas ultimamente ele me trazia mais ansiedade que alegria.
Achei que não estava sendo valorizada.
Algumas pessoas são assim, conseguem reunir uma multidão em torno de si sem dar nada de muito importante para ninguém, basta ele estar lá.
Na minha fase acho que não estava bem para minha autoestima.

Mais para frente talvez eu reate quando achar que possa ter um amigo que não da muita bola, que só liga quando precisa, mas que a gente não consegue desgostar, a quem se perdoa tudo porque realmente é uma grande pessoa, enfim é amar ou odiar.

Eu o adoro, mas não posso esperar ajuda dele.
Preciso contar tudo ao meu médico e encarar uma terapia a qual me recuso ainda, não aceito direito que talvez não possa resolver sozinha meus problemas.

Mas acreditem, tem solução, eu sei que isso passa. Tenho confiança plena no meu médico e em Deus.
Vou sair dessa, com a ajuda deles e da minha. Força para quem está na pior, ou melhor que eu.

Você ainda vai sair dessa. Abraço para todos.


Depoimento 2:

Faz um tempo que sinto formigamento, sensações de coisas andando na cabeça tipo formiga e sensações de líquido correndo na cabeça também, e um nervo tremendo do lado esquerdo da cabeça, fora as dores em alguns pontos na cabeça, pois o que sinto é constante, fico tão ansioso que passo mau, pois eu fico pálido e minha cabeça esquenta.
A primeira coisa que eu fiz foi procurar um neurologista e ele pediu uma Tomografia Computadorizada e um exame de sangue e graças a Deus não deu nada.

© 2020 por mentalhelp