Perguntas e Respostas: 

Fobias ou medos sem motivo

1) Alguns antidepressivos e betabloqueadores podem melhorar o Rubor Facial.

Pergunta 1:

Gostaria de saber se existe alguma cirurgia facial que poderia resolver o Rubor Facial. Se o senhor também pudesse me indicar alguém eu ficaria muitíssimo agradecida.
Resposta:
Rubor facial pode aparecer em Fobia Social, mas também em pessoas que não são tímidas nem muito ansiosas.

Alguns medicamentos antidepressivos e betabloqueadores podem melhorar o Rubor Facial. Leia mais sobre tratamento de Rubor Facial aqui.


Pergunta 2:

Tenho 39 anos e sérios problemas pessoais há anos. Passei a ter sintomas que cheguei a conclusão serem típicos de Síndrome do Pânico e realmente, após consulta médica, este foi o diagnóstico; comecei a tomar Eufor 20 mg 1 x ao dia, tomei por 3 semanas mas não senti melhora significativa, e como também me foi receitado Somalium 3 mg para dormir.
Me sinto um pouco melhor (40 %), mas o problema e que acredito que no meu caso existe uma associação de Transtorno do Pânico com Fobia Social, pois não tenho condições de enfrentar uma série de situações corriqueiras como por exemplo, reuniões com qualquer pessoa, fazer ou exercer qualquer atividade quando me observam, falar em público ou qualquer coisa que envolva exposição. Isso tudo não seria problema se conseguisse esconder o que sinto, mas acontece que um mínimo de stress me leva a uma taquicardia, tremor, falta de ar e o pior, uma sudorese intensa que me denuncia e leva a um agravamento de todos estes sintomas, sem falar no rubor da face e um calor insuportável e incrível, pode estar fazendo um frio de 1ºc que o calor e intenso e molho totalmente a roupa, imaginem esta situação sendo percebida pelo meu paciente a minha frente?

Acho que se conseguisse evitar esses sinais denunciadores teria uma vida normal, estou até disposto a realizar uma cirurgia de seccionamento do tronco simpático (Simpatectomia Endoscópica Transtorácica - tratamento para Hiperidrose e Facial Blushing, ou Rubor Facial). O que vocês acham que tenho? Qual seria o tratamento? Seria viável a Simpatectomia?

Resposta:

Uma tentativa com Eufor ou Somalium sem bons resultados não quer dizer nada, pode ser que outras combinações de medicamentos, Terapia e Yoga ou Meditação ajudem.


Pergunta 3:

Bom dia ao Dr. Rubens Pitliuk e toda sua equipe. Vou direto ao assunto: sofria de Hiperidrose nas axilas, mãos, pés, cabeça, fiz uma Simpatectomia.
Resolveu nas axilas, mãos e cabeça, maravilha, mas o suor excessivo aumentou no tórax e nas costas, conforme o médico já tinha me alertado.
Mas só tenho esse distúrbio quando estou ansioso, tenso, em situações adversas, pois trabalho com vendas e tenho contato direto com pessoas.

Além do mais também desenvolvi ejaculação precoce há alguns anos.
Somando tudo isso me sinto tremendamente frustrado, angustiado, tímido.

Por isso já abandonei vários projetos e oportunidades profissionais e pessoais. Por favor, me orientem qual o melhor profissional medico para me ajudar nesses casos. Obrigado Marcelo

Resposta:

O tratamento será provavelmente com um Antidepressivo que ao mesmo tempo controle a Ansiedade e retarde a ejaculação.

Além das outras medidas de controle de Ansiedade que você pode ler na página de TAG ou Transtorno de Ansiedade Generalizada.


Pergunta 4:

Dr. Rubens Pitliuk, tenho 17 anos e uma doença hereditária, chamada Hiperidrose. Suo bastante nas mãos (pinga suor) e pés.
Hoje eu tenho certeza que eu estou com Fobia Social.
Acha que eu devo voltar a um Psicólogo ou ir logo para um Psiquiatra?

Nunca namorei e só beijei uma vez, e foi só um rapaz.
Penso em me matar todos os dias. Só uso blusas de gola porque meu colo fica excessivamente vermelho, o rosto então, tem horas que lateja de tanto sangue subindo. Todos percebem porque sou muito branca!


Resposta:

Hiperidrose (sudorese excessiva), Fobia Social e Ansiedade Generalizada andam juntas. A Psicóloga vai ajudar, com certeza, ainda mais se ela dominar a técnica de Terapia Cognitivo Comportamental (TCC), mas o Psiquiatra é fundamental porque além dele te dar remédios que aliviam os sintomas da Ansiedade, a Hiperidrose o rubor facial e a vermelhidão no colo. Mas alguns casos precisam da cirurgia (Simpatectomia Torácica).

2) Qual é a diferença entre Fobia Social e Agorafobia?

Pergunta 1:

Gostaria de saber qual é a diferença entre Fobia Social e Agorafobia.

Resposta:

A Fobia Social acontece nos encontros com pessoas, nas reuniões, nos contatos sociais, apresentações, aulas, etc... Ela se caracteriza também pelo medo de estar sendo avaliado negativamente
A Agorafobia é um medo com lugares, com os espaços amplos, multidões, etc.

Psicólogo Juarez Lopes neto


Pergunta 2:

Obrigada pela oportunidade, gostaria de saber se o Rivotril 0,5 juntamente com o Assert ajudam no tratamento de Agorafobia. Passei pelo Psiquiatra hoje, mas infelizmente ele não me explicou nada sobre esses medicamentos.
Perguntei que tipo de medicamento era e por quanto tempo deveria tomar, ele só me disse por muito tempo, aí falei: muito tempo quanto?
Ele me disse mais de um ano. Será que poderia me esclarecer sobre isso, fiquei com medo de comprar, tomar e ficar dependente, pois não quero isso. Agradeço a ajuda e aguardo uma resposta.

Resposta:

Você tem razão, quando um médico receita um remédio, deveria dizer como funciona, quais os efeitos colaterais, por quanto tempo, etc.

Em primeiro lugar, não existe dependência de Antidepressivos.
Mas não tenho condições de dizer por quanto tempo você vai precisar tomar porque não conheço tua história nem circunstâncias de vida. Teus traços de personalidade, etc.

Procure outro Psiquiatra que te dê informações mais completas.


Pergunta 3:

Olá, gostaria de saber mais sobre um distúrbio de ansiedade denominado de Agorafobia.
Resposta:
Agorafobia é a Fobia de lugares abertos, que pode ser desde um descampado até mesmo sair na rua. Costuma fazer parte da Síndrome do Pânico, mas nem sempre.


Pergunta 4:

Se a Agorafobia desaparece com o tratamento e se vou ter sempre recaídas quando se faz o desmame dos medicamentos.
Resposta:
Quase certo que sim, a Agorafobia desaparece com o tratamento.

Se ela volta depois do desmame dos medicamentos, depende de muitos fatores, não tenho condições de responder com esses dados.

3) Quando vejo ferimentos e sangue tenho taquicardia, minha pressão baixa.

Pergunta 1:

Tenho Transtorno do Pânico desde criança. Há dez anos faço tratamento com medicamento e terapia de grupo. Todavia, até hoje, chego a desmaiar quando tenho que fazer um simples exame de sangue! Minha pressão despenca! Como posso mudar efetivamente esta minha reação? O que está por trás da Eritrofobia?

Resposta:

Seu tratamento deveria ser reavaliado. O que está por trás da Eritrofobia não é o mais importante, pois nas suas muitas Psicoterapias você já deve ter analisado exaustivamente os motivos desse medo de ver sangue.
É importante que os pacientes fóbicos saibam que saber o motivo de uma Fobia não significa que ela acabe.

O tratamento exige medicação mais Psicoterapia comportamental.


Pergunta:

Olá, tenho 18 anos, fiz vestibular para Medicina e entrei, mas tenho fobia de ferimentos e sangue.
Hoje, estou muito confusa diante do que quero.
Acho a profissão incrível, mas tenho muito medo, pois quando vejo ferimentos e sangue tenho taquicardia, minha pressão baixa e fico pálida.
Gostaria de saber se esse tipo de fobia tem cura, porque se não conseguir me livrar desse medo, jamais conseguiria completar meu curso.

É possível? Como? Acostuma com o tempo?


Pergunta 3:

A cada exame de sangue sinto forte mal estar e as vezes desmaio, e logo após acordar tenho vômitos. Gostaria de saber qual especialista procurar?
Resposta:
Esse tipo de se chama Eritrofobia (de sangue e ferimentos) passa com tratamento:
Uma medicação provisória.
Terapia Cognitivo Comportamental (TCC).

Para a Pergunta 1: trate-se que você ainda vai ser uma grande médica.


Pergunta 4:

Olá doutor! Eu não sei o que eu tenho, mas quando vejo coisas relacionadas a ferimentos começo a passo mal, cai minha pressão na hora.

Resposta:

Isso é uma reação Neurovegetativa do teu organismo, uma Fobia, que provoca queda de pressão. Mas saber o nome do teu problema não acaba com ele.

Procure uma Psicoterapia para se livrar disso.


Pergunta 5:

Dr. Rubens Pitliuk, há cerca de cinco anos sofro de várias fobias tais como: não fico em salas ou banheiros fechados, não ando de elevador, de avião de ônibus, não passo por pontes e não fico no escuro.
A cada ano que passa, entro numa nova fobia além da Síndrome do Pânico e muita Ansiedade.

Minha vida está difícil. Tenho 45 anos e já fiz tratamento psiquiátrico por quase um ano e psicológico pelo mesmo tempo.
Larguei tudo, pois só tomava remédio que me deixava impotente e não resolvia.

Sou hipertenso e na mesma época em que comecei a tomar medicamento para hipertensão, começaram estes distúrbios.
Tenho Prolapso da Válvula Mitral.
Estou arrasado, pois não tenho coragem de enfrentar o que anos atrás era simples.

Tem jeito para tudo isto?
É uma coisa só ou são vários problemas?
Isto pode se agravar aumentando as fobias?
Entro num lugar, penso que pode faltar energia e ficar no escuro.
Não saio quase à noite para não passar por isto.
Numa festa ou visita só fico se as portas estiverem abertas.

Estou assustado, parece que nunca ficarei bom.

Quanto a falar em público não tem problema, pois isto faço quase sempre, somente um nervosismo inicial e depois passa com algumas técnicas em falar.

Dirigir não tem problema.

O que faço?

Penso em pedir meu cardiologista para me passar Ansiolítico, resolve?

Resposta:

Precisa ver se a Psicoterapia foi feita com uma terapeuta experiente em Transtornos de Ansiedade.
Precisa ver que remédios você tomou, pois nem todos os Antidepressivos e outros medicamentos usados em tratamento de Ansiedade prejudicam a libido.
Ansiolíticos costumam funcionar sim, e rapidamente. O problema é que com o tempo eles podem perder o efeito com o tempo e criaram dependência.

4) Quando vou dirigir, sinto dor de barriga, tremor e taquicardia.

Pergunta 1:

Aos 34 anos resolvi tirar a habilitação, só que descobri que tenho verdadeiro pavor de dirigir. Se estou andando numa rua onde não tenha carros, tudo bem. Mas se vou dirigir em uma rua de movimento, as minhas pernas ficam duras, quase dormentes, começo a transpirar e tenho uma vontade enorme de descer do carro e sair correndo.
Gostaria de saber se é uma Fobia ou Síndrome do Pânico ou Transtorno do Pânico e como resolver pois não gostaria de desistir, mas também não sei como fazer para perder esse pavor.


Pergunta 2:

Quando vou dirigir, fico muito ansiosa e sinto dor de barriga, tremor e taquicardia. Não consigo comer só de saber que vou dirigir ou fazer uma prova, viajar e fazer coisas que não tem motivos para isso.
Sou muito ansiosa, tirei minha habilitação há 3 anos e dirijo muito pouco.


Pergunta 3:

Sou muito ansiosa, tirei minha habilitação há três anos e dirijo muito pouco, pois fico muito ansiosa e sinto dor de barriga, tremura, taquicardia, não consigo comer só de saber que vou dirigir ou fazer uma prova, viajar e fazer coisas que não tem motivos para isso.
Quero fazer um tratamento, mas na minha cidade não tem Psicólogo ou Psiquiatra e isso esta atrapalhando a minha vida. O que fazer?

Resposta:

Provavelmente é uma Fobia com pequenos Ataques de Pânico que devem passar em poucos dias de tratamento.

Procure um Psiquiatra, esses casos geralmente nem precisam de terapia prolongada. Geralmente uma medicação ansiolítica mais uma Psicoterapia Comportamental resolve esse medo de dirigir rapidamente.

A ansiedade que você apresenta para dirigir, é mais comum do que se imagina.

5) Porque em elevador cheio de gente passo mal e em elevador vazio tudo bem?

Pergunta 1:

Gostaria de saber se é normal a Claustrofobia evoluir para a Síndrome do Pânico. Estou ficando com pavor da noite porque não consigo dormir e passo horas esperando pelo dia, até pegar no sono estressada demais. O que posso fazer na hora da crise que me faz suar, acelera meus batimentos e me deixa transtornada.
Resposta:
Claustrofobia é uma forma de ansiedade, Ataques de Pânico também, portanto, uma pessoa que sofra de Claustrofobia pode apresentar Ataques de Pânico e vice versa.


Pergunta 2:

Sou casado, 40 anos e um filho, tenho Fobia desde os quatro anos de idade, não sabia que era isso, no passado diziam que era problema neurológico. Passei minha adolescência tomando remédios errados.
Já adulto, descobri que era Fobia. Hoje mesmo tive uma crise, medo de multidão, do centro da cidade, sinto que não vivi. E não sei o que fazer, passei por Psicólogos e tomei até o Prozac que não me satisfez. Hoje tomo calmantes para poder suportar. Gostaria de saber se Terapia de Regressão poderia curar este mal.

Resposta:

Fobias desde a infância podem mesmo provocar Ataques de Pânico na idade adulta. Prozac não é o único tratamento. Existem muitos outro remédios e terapias muito mais simples e eficazes do que Terapia de Regressão.


Pergunta 3:

Sofro de Claustrofobia. Porque em elevador cheio de gente passo mal e em elevador vazio tudo bem?
Resposta:
Porque você provavelmente não sofre de Claustrofobia e sim de Fobia Social.

Para você o problema não é o elevador, são as pessoas lá dentro.


Pergunta 4:

Sofro de uma timidez doentia, que me vem prejudicando a vida profissional. Se alguém, em uma reunião de trabalho, me faz a mais breve indagação, ou mesmo diante da possibilidade de ser instado a falar, fico com as mãos geladas e trêmulas.
O fato é especialmente constrangedor, quando chego à reunião, pois, já ao cumprimentar as pessoas, todas, inevitável e naturalmente, notam meu estado de nervosismo, que sei ser injustificável, pois me considero pessoa inteligente e preparada para o exercício de meu cargo. Se chego a uma reunião social, onde conheço poucas pessoas, também tenho os mesmos sintomas, extremamente desagradável.


Pergunta 5:

Eu não sabia que o meu pavor descontrolado de reuniões (ou seminários) estava relacionado á Síndrome de Pânico, portanto, sei agora que não sou completamente culpado por esse transtorno que me atormenta tanto.
Gostaria que se fosse possível, o Sr. me desse orientações sobre como contornar essa minha Fobia terrível.

Resposta:

Parece se tratar de uma Fobia social. Procure um Psiquiatra clínico em sua cidade.

6) Não consigo entrar na piscina, parece que ela vai me levar.

Pergunta 1:

Quando estou diante de uma piscina, entro em pânico. Não consigo entrar na piscina, parece que ela vai me levar, sinto um medo terrível de água.
Isso me prejudica muito, pois todos riem de mim.

Resposta:

O tratamento disso dessa fobia de piscinas pode ser muito mais fácil do que você pensa, procure uma psicóloga Cognitivo Comportamental (TCC)


Pergunta 2:

Dr., há 20 anos tomo Rivotril, estava em 2 mg diárias, pela manhã. Sentia-me controlado mas disseram que para meu caso - Pânico/Ansiedade Generalizada - haviam outras drogas mais eficientes e menos danosas.
Resolvi alternar, comecei com Citalopram (juntamente com a gradual redução do Rivotril que cheguei a 1 mg), por um mês mas esse medicamento literalmente extinguiu orgasmo e ejaculação.
Passei então para Zoloft (estou na primeira semana) mas os sintomas de medo-de-não-sei-o-quê persistem, as dificuldades para decisões e uma certa Fobia de decisões e iniciativas (profissionais principalmente).

A pergunta seria longa mas para resumir, é mesmo aconselhável livrar-me do Rivotril e, ao mesmo tempo, é verdade que posso ter uma vida melhor com antidepressivos assim como esse Zoloft? Existe a possibilidade de que eu consiga suportar a normalidade do dia-a-dia sem os medos que mencionei?

Resposta:

O Rivotril é sintomático, trata os sintomas, não a causa. Mas às vezes os Antidepressivos também. É por isso que recomendamos Yoga, Meditação, Psicoterapia, esportes.

Claro que muitas vezes os remédios sozinho resolvem o problema, porque a pessoa acaba trocando o comportamento fóbico-ansioso por um comportamento mais normal e o reforço positivo cria um círculo virtuoso (antes era círculo vicioso ansiedade – fobias – mais ansiedade).

© 2020 por mentalhelp