Epilepsia em crianças, Síndrome de West

Síndrome de West, Síndrome de Lennox-Gastaut

Dr. Abram Topcewsky

Hospital Albert Eintein Telefone (11)-2151-3303

 

O que é Epilepsia?

Considera-se como sendo uma disfunção temporária de um grupo de células do cérebro que se manifesta por descargas excessivas e anormais.. Sabe-se que as células do cérebro devem funcionar tal qual uma orquestra, mantendo uma harmonia funcional. Essa disfunção celular desencadeia o desafinar dessa orquestra cerebral, provocando um grande desconforto.

 

Quais são as manifestações da crise epiléptica?

O quadro pode se apresentar com manifestações motoras, alterações do comportamento, da percepção, da emoção e da consciência.

 

A epilepsia é uma intercorrência comum?

Calcula-se que se manifesta em 2-3% da população e é mais freqüente na infância.

 

Existe uma causa determinante da epilepsia?

Vários são os fatores que podem causar a epilepsia: anormalidades durante a gestão, durante o parto e imediatamente após o parto. Devemos citar as doenças infecciosas, metabólicas, vasculares, degenerativas, hereditárias , além do traumatismo crânio encefálica

 

A epilepsia é uma doença hereditária?

Existindo histórico familiar deve-se considerar a causa genética como determinante, especialmente quando se manifesta na infância e adolescência.

 

Disritmia cerebral é a mesma coisa que epilepsia?

Disritmia cerebral significa a existência de alteração do ritmo elétrico cerebral registrado ao eletroencefalograma. Essa alteração não significa que o indivíduo apresente qualquer sintoma epiléptico.

 

Existe tratamento para a epilepsia?

O tratamento é feito com medicamentos específicos e, para isso, existem vários disponíveis no mercado.

 

A epilepsia tem cura?

As estatísticas mostram que 80% dos pacientes apresentam remissão completa com o tratamento clínico e após um determinado período de tratamento o medicamento poderá ser dispensado

 

Existem outras formas de tratamento?

Os casos rebeldes ao tratamento clínico poderão se beneficiar com o tratamento cirúrgico.

 

As crises convulsivas febris são diagnosticadas como epilepsia?

Não, pois não se trata de uma epilepsia, mas sim de uma crise convulsiva desencadeada por uma intercorrência que é a febre. Trata-se de uma hipersensibilidade ao quadro febril.

 

A convulsão febril pode se manifestar em qualquer idade?

Aceita-se a convulsão febril manifestando-se até a idade de 5-6 anos, sendo que é mais freqüente nos primeiros 3 anos.

 

Como se trata a convulsão febril?

O mais importante é orientar os pais, como ministrar anti térmico logo que percebam a temperatura elevada, banhos mornos para reduzir a temperatura. Procurar o médico para se detectar a causa da febre. Os anticonvulsivantes são empregados em casos especiais, pois o risco de recorrência é baixo.

 

O anticonvulsivante, durante a gestação, pode comprometer o feto?

De modo geral a incidência de malformações, em filhos de mães epilépticas, que usam anticonvulsivantes está na faixa dos 5-6%

 

Que são as crises de ausência?

São crises breves de perda da consciência, de curta duração, 10-20 segundos, por vezes associada a movimentos da face, olhos e parece que a pessoa está distraída. Essas manifestações aparecem várias vezes ao dia. E mais freqüente no sexo feminino e na idade escolar.

 

O que é a Síndrome de West?

Trata-se de um tipo especial de crises que se manifestam no primeiro ano de vida, caracterizada por espasmos em flexão ou extensão associada a regressão ou retardo do desenvolvimento neurológico. Esse tipo de crise é resistente aos anticonvulsivantes convencionais e respondem bem ao uso de corticóide ou imunoglobulina

 

E a Síndrome de Lennox-Gastaut?

São crises convulsivas que se manifestam na idade pré-escolar, do tipo misto (generalizadas ou parciais, mioclônicas, tônicas, tônico-clônica, ausências) várias vezes ao dia. As crises são de difícil controle, acompanhada de comprometimento mental e com evolução desfavorável na maioria dos paciente.

 

Perguntas e Respostas sobre tratamento de Epilepsia e outros problemas neurológicos na infância