Quem sofre de TDAH e Depressão pode precisar tratamento combinado

Atualizado: 22 de Mar de 2021


Quem sofre de TDAH e Depressão pode precisar tratamento combinado
Quem sofre de TDAH e Depressão pode precisar tratamento combinado

PERGUNTAS E RESPOSTAS:


Pergunta 1:


Eu tenho Déficit de Atenção e o médico me indicou o Efexor 37,5 mg para tratamento de TDAH, mas pelo o que eu pesquisei o Efexor nada mais é do que um antidepressivo. O certo deveria ser a Ritalina, Concerta ou Venvanse.

Eu tenho perda de memória constante, sou ansiosa, antissocial, sofro de Depressão, releio a mesma página várias vezes.


E agora, será que ele me passou a medicação errada? Será que vai funcionar?


Resposta:


Muitos pacientes sofrem de TDAH (Déficit de Atenção) mais ansiedade e/ou Depressão. Eles costumam precisar de combinação de medicamentos, um Estimulante (Ritalina, Concerta ou Venvanse) mais um Antidepressivo, além de Psicoterapia, pois muitas vezes o comportamento depressivo ou antissocial é decorrência das dificuldades trazidas durante a vida pelo TDAH.

Mas o Efexor usado especificamente para o TDAH é incomum, sendo medicação de terceira escolha para quem não tolera os Estimulantes nem a Bupropiona.


Pergunta 2:


Desde a minha adolescência venho tentando investigar o porquê da minha dificuldade de concentração que começou a me incomodar por volta dos 9 anos, quando sentia dificuldades em fazer provas. Na minha adolescência, passei por um período de Depressão que na época não foi observado por meus familiares.

Eu só queria ficar em casa e não queria me relacionar com os colegas e amigos.


Com isso me tornei uma pessoa fechada fiz Eletroencefalograma aos 19 anos para descobrir se teria algum problema e deu normal.

Minha dificuldade de atenção continuava e quando estudava, na hora da prova ocorria aquele branco.

Quando comentava isso com os médicos, eles me olhavam como se fosse uma coisa normal e corriqueira.

O tempo foi passando e com isso a minha autoconfiança foi sendo abalada fazendo minha autoestima passar por altos e baixos.

Passei a ter pavor de falar em público (4 pessoas para mim já era considerado multidão).


Sofri de Depressão pós Parto e foi horrível. Não queria ver ninguém.

Depois comecei a engordar, pois comia compulsivamente assim como o alcoólatra o faz com a bebida e a total apatia pelas coisas da vida foi tomando conta de mim.

Nada me dava mais prazer e o mau-humor era constante.

Procurei um médico que me receitou Isomeride mais dieta e observei que o remédio não só me ajudou na perda de peso como me recuperou psicologicamente fazendo eu me sentir leve e voltar a ter alegria de viver.

Tomei o medicamento durante uns 90 dias seguidos e depois suspendi por recomendações médicas.


Passados uns oito meses, observei que o meu mal estar voltava com os antigos sintomas e voltei a tomar o medicamento por menos tempo até me sentir melhor.

E assim o fiz até a sua venda ser suspensa. Minha mãe já sofreu de Depressão e hoje, mesmo curada, é uma pessoa que às vezes sofre de baixa autoconfiança e autoestima.


Reposta:


Tudo isso pode se encaixar em Déficit de Atenção com ou sem Hiperatividade. Uma pessoa pode sofrer de uma Depressão Clínica independente do TDAH, mas o mais comum é que o estado depressivo assim como a Fobia Social sejam consequência das dificuldades trazidas pelo TDAH.

Esse é mais um motivo da importância de tratar o DDA assim que ele é percebido na criança, para não deixar sequelas.


Pergunta 3:


Com 24 anos devido a baixo rendimento acadêmico e profissional resolvi procurar um médico. Após consulta com um Psiquiatra foi diagnosticado TDAH seguido de stress/leve Depressão decorrente do baixo rendimento que eu tinha.

Estou fazendo o tratamento com Citalopram 20 mg, e já senti uma melhora na disposição de acordar cedo, durante o dia e também meu corpo não estava cansado ao acordar.

Ele disse que no próximo retorno irá me avaliar e se não for percebido melhora na concentração ele irá O medicamento Citalopram é realmente indicado para o meu caso? TDAH e stress.


Reposta:


Sim, o Citalopram (Citta, Procimax) é um dos muitos Antidepressivos que podem ajudar nessa Depressão que pode ser consequência das dificuldades trazidas pelo TDAH.


Pergunta 4:


Li um pouco sobre a Ritalina em livros e em sites como o do Dr. Rubens Pitliuk, e alguma coisa que eu li e outras que são apenas suposições, me assustam, tais como o cansaço e a Depressão de quando eu não estiver sob o efeito do medicamento. Ela tem algum efeito colateral sexual?


Resposta:


Alguns pacientes sentem uma leve depressão, como se fosse um “baixo astral” quando passa o efeito da Ritalina no final do dia.

Geralmente esse problema é facilmente controlado associando Ritalina com um Psicoestimulante de ação mais longa e queda no nível plasmático menos acentuada, como Ritalina LA, Concerta e Venvanse.

Com relação a algum efeito colateral sexual, sim, ela pode provocar aumento de libido.

Pergunta 5:


Já usei Piracetam, Amitriptilina, Buspirona, Sertralina, Cafeína, GABA, Pentoxifilina, Paroxetina, Vitamina, Fluoxetina e Venlafaxina. Entretanto, continuo com o raciocínio lento, falta de memória tanto de curto/longo prazo, irritabilidade, dificuldades de dormir, estou engordando muito e por conta do remédio prisão de ventre.

O pior de tudo isso, é que raciocínio lógico, concentração, agilidade mental na solução de problemas, criatividade são elementos básico de minha área de atuação profissional. Preciso mudar de medicação?


Resposta:


Parece que sim, certo? Eles não estão ajudando e ainda estão te trazendo efeitos colaterais;

Mas você está tratando de Depressão ou de um Déficit de Atenção?


Pergunta 6:


Faço terapia há dois anos, e, entre muitas descobertas, identifico-me como portadora do Déficit de Atenção... Quando li no artigo da Revista Caras que vocês tinham um estudo, e mais, um tratamento para pessoas com essa característica, interessei-me imediatamente...

Comentando com minha terapeuta sobre o assunto, ela me orientou que entrasse em contato, para pegar orientações de que tipo de tratamento é feito, que tipo de antidepressivo é utilizado (faço tratamento com Prozac há dois anos), e outras informações mais que pudessem ser aproveitadas para o sucesso de um possível tratamento. Tenho tido diversos problemas ocasionados por esse distúrbio, e tenho o maior interesse em seguir um tratamento a sério.


Resposta:


Parabéns, então comece a tratar. Leia sobre tratamento das páginas de TDAH.


Pergunta 7:


Olá, há alguns anos fui diagnosticada com Depressão, tenho falta de atenção, hiperfoco e agitação desde a infância, diziam que eu me dispersava muito fácil, gostaria de expressar melhor os meus pensamentos.

No momento estou sendo medicada com Efexor, gostaria de saber se ele ameniza esses sintomas que tanto me atrapalham no meio social e afetivo.


Resposta: