Remédio para dormir é muito útil, mas precisa alguns cuidados.

Atualizado: 7 de Dez de 2020


Cuidado com remédios de dormir

Pouca coisa irrita mais do que ouvir "sou contra remédio de dormir!". Falou o sabe tudo que nunca teve problema de insônia.

Os remédios de dormir são úteis? Sim, muito úteis, mas por períodos curtos (dias ou semanas), fases de mais problemas e preocupações, viagem de avião etc.


O problema maior nem é o de dependência (que também existe) e sim tolerância. Tolerância significa que você precisa de doses maiores para ter o mesmo efeito.

Nas primeiras noites é aquela maravilha, você dorme bem e acorda descansado.

Com o tempo, porém, as coisas mudam. Você começa a sentir cansaço durante o dia, parece que fica meio lento e pesado. Às vezes, até mesmo meio depressivo. Isso vale para todos eles, independentemente da cor da tarja. A memória recente também começa a ficar prejudicada.


Além disso, com o uso constante a arquitetura do sono se altera, o sono durante a noite não é mais tão profundo e você começa a aumentar a dose. Aí vai ter mais cansaço durante o dia.


Não é porque a tarja é vermelha que existem menos riscos do que com os “Tarja Preta”.


Separei alguns tópicos de acordo com as perguntas que recebo:

  • Zolpidem, Turno, Patz, Noctiden, Stilnox, Stilnox CR são exatamente a mesma coisa.

Não é porque a tarja é vermelha que eles exigem menos cuidados!

No começo o sono é maravilhoso. Com o tempo a pessoa nem espera para ver se vai ou não dormir e já toma.

O risco de abuso com Zolpidem é muito grande. Muitos pacientes referem que fizeram coisas durante a noite e não lembram. Por exemplo, cozinharam, foram no armário de remédios e tomaram mais um comprimido.

Muitas pessoas acordam sentindo uma melancolia que só passa lá pelo meio da manhã.

Muitos jovens começam a tomar Zolpidem durante o dia em grande quantidade, para sentir o “barato”. Zolpidem é da família dos Benzodiazepínicos. O problema é o início e final do efeito serem muito abruptos.

O novo Prysma (Eszopiclona), de acordo com as pesquisas, parece ter início e final de efeito mais longos, o que diminuiria esses riscos, mas a vida real vai confirmar ou não os dados de pesquisa.

  • Melatonina: se você dorme bem com Melatonina, considere-se felizardo. Melatonina geralmente aprofunda o sono de modo natural mais em idosos. Mas se você é jovem e dorme bem com Melatonina, fique feliz.

O novo Rozerem (Ramelteona) promete um sono mais natural por agir em receptores de Melatonina. O tempo vai dizer.

  • “Benzos”: são os clássicos benzodiazepínicos. Dormonid, Dalmadorm, Rohypnol, Rohydorm, Lexotan, Somalium, Bromazepam, Rivotril, Clonazepam, Frontal, Apraz, Alprazolam, Valium, Diazepam, etc. Alguns têm meia vida mais curta, outros mais longa.

Insônia inicial pode melhorar com os de meia vida mais curta.

Insônia intermediária com os de meia vida mais longa.

Insônia terminal pode indicar uma Depressão.

O uso constante traz os mesmos problemas descritos acima.

  • Antidepressivos que se usa para tratar insônia: exemplos, Donaren, Loredon, Trazodona, Remeron, Razapina, Menelat. Amytril, Amitriptilina.

O sono pode não ser “tão gostoso” quanto os Benzos, podem dar um pouco de boca seca, alguns dão fome, mas em compensação não existe risco de dependência, o risco de tolerância é muito pequeno e dos demais problemas descritos acima é bem menor.

  • Neurolépticos: quem lê a bula se assusta; “me deram remédio de Esquizofrenia!”. Sim, mas leia a bula inteira.

Por exemplo, Quetiapina, Seroquel, Neotiapim, Quetros, Quet, Atip, etc.: dose para insônia: 25 a 100 mg. Dose para Esquizofrenia mais de 600 mg. Outro exemplo: Zyprexa, Olanzapina, Axonium, Zap. Dose para insônia 2,5 a 5 mg. Dose para Esquizofrenia, 20+ mg.

Neozine, Equilid, Fenergan também são neurolépticos usados em insônia.

Valem as mesmas observações: o sono pode não ser “tão gostoso” quanto os Benzos, podem dar um pouco de boca seca, alguns dão fome, mas em compensação não existe risco de dependência, o risco de tolerância é muito pequeno e dos demais problemas descritos acima é bem menor.


Conclusão: dormir bem é fundamental. Insônia é um dos “males do século”. Mas não aceite recomendação nem recriminação de leigos, consulte seu médico. Faça pausas e “rodízio” entre mais de um, assim o risco de tolerância é menor.

Perguntas e Respostas sobre tratamento com remédios psiquiátricos

Depoimentos de pessoas que tomam ou tomaram remédios psiquiátricos

© 2020 por mentalhelp